Posts Tagged 'Deficiência Visual'

Cegueira e perda de visão

Sinônimos: nenhuma percepção de luz (npl)

Cegueira nada mais é do que uma condição caracterizada pela perda da habilidade de enxergar, mesmo com a melhor correção (qualquer recurso óptico como óculos ou lente de contato). Existem vários meios de avaliar a extensão da perda visual ou cegueira.

6750438415_e55642d347_z-e1327513450854

A cegueira pode ser reversível ou irreversível. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que três quartos (75%) dos casos de cegueira no mundo são tratáveis ou preveníveis. Ir ao oftalmologista regularmente é uma das melhores formas de prevenir doenças que causam a cegueira.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, estima-se que existam 37 milhões de cegos no mundo. E 82% das pessoas que vivem com a cegueira têm mais de 50 anos, de acordo com a OMS.

Tipos

Segundo OMS, o termo “visão baixa” é usado para definir pessoas com visão limitada no melhor olho com a melhor correção. É usado o termo “cegueira” quando a pessoa tem uma visão muito baixa no melhor olho com a melhor correção.

A cegueira pode ser transitória, quando ocorre a perda da visão apenas por um intervalo indefinido de tempo, ou definitiva, quando a condição se torna permanente e irreversível.

Causas

As principais causas da cegueira reversíveis são:

  • Catarata
  • Opacidade da córnea
  • Tracoma (conhecida antigamente por “dordolho”)
  • Descolamento de retina (reversível se operado com urgência)
  • Enxaqueca.

As principais causas da cegueira irreversíveis são:

  • Glaucoma avançado
  • DMRI (Degeneração Macular Relacionada à Idade)
  • Retinopatia diabética avançada
  • Deficiência de vitamina A (principalmente em crianças)
  • Neurite óptica, uma inflamação no nervo óptico, que leva as informações da retina para o cérebro
  • Ambliopia (popularmente conhecido como “olho preguiçoso”).

Derrame cerebral (AVC), retinite pigmentosa e tumores são outras causas menos comuns da cegueira.

Fatores de risco

Existem alguns fatores de risco para cegueira ou perda de visão:

  • Idade
  • Pessoas com graus altos de miopia
  • Nascimento prematuro
  • Trauma
  • Cirurgias oculares ou neurológicas
  • Pessoas que trabalham com produtos químicos
  • Pessoas com diabetes.

Diagnóstico de Cegueira e perda de visão

Em todos os casos, o oftalmologista realizará testes de acuidade visual, biomicroscopia, exame de fundo de olho, medida de pressão intraocular e em alguns casos, exame de campo visual para avaliar visão periférica.

O exame oftalmologico consiste em avaliar qual a melhor visão de ambos os olhos com a melhor correção óptica. E caso a melhor visão de ambos os olhos não chegue a ter 100%, o oftalmologista realizará analise de cada estrutura ocular para investigar qual doença justifica a baixa de visão de cada paciente.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.minhavida.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Mais de 500 mil brasileiros sofrem de Cegueira

No próximo sábado (13) é lembrado o Dia do Cego. Criada em 1961, a data tem como objetivo promover a integração das pessoas que apresentam este problema. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6,5 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência visual. Deste total, mais de 500 mil pessoas são cegas.

86073
O oftalmologista Dr. Bruno Prieto, alerta que algumas patologias podem levar a perda total ou parcial da visão. “A principal causa de cegueira é degeneração macular relacionada à idade, uma doença degenerativa que atinge principalmente pessoas com mais de 50 anos. Além disso, problemas como catarata e glaucoma também podem levar a perda da visão”, considera.

O especialista acrescenta que os cegos também devem ter cuidados com os olhos. “Todos devem ir ao oftalmologista ao menos uma vez por ano, e é importante reforçar que até mesmo as pessoas que sofrem de cegueira precisam comparecer a consultas periodicamente.

Assim, o profissional poderá observar o paciente e dar a ele e à família as orientações necessárias para lidar com esta deficiência. Os cegos também podem ter doenças oculares, por isso, a saúde dos olhos dessas pessoas precisa de acompanhamento”, argumenta.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.bonde.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Como agir com um Deficiente Visual

Hoje (13) é comemorado o Dia Nacional do Cego!

1340888321547732

As pessoas que estabelecem contato com portadores de deficiência visual, seja de forma ocasional ou regular, revelam-se de um modo geral inseguras sobre como agir nas diferentes situações que possam ocorrer. No convívio com deficientes visuais aja com naturalidade e observe alguns procedimentos:

  1. Não trate as pessoas cegas como seres diferentes. Elas estão sempre interessadas no que você gosta de ver, de ler, de ouvir e falar;
  2. Não se dirija a uma pessoa cega chamando-a de “cego” ou “ceguinho”, é falta elementar de educação, podendo mesmo constituir ofensa;
  3. Não fale com a pessoa cega como se fosse surda;
  4. Não deixe de oferecer auxílio à pessoa cega que esteja querendo atravessar a rua ou tomar condução, esteja certo de que a maioria lhe agradecerá o gesto;
  5. Não suponha que a pessoa cega possa localizar a porta onde deseja entrar ou o lugar aonde queira ir, contando os passos;
  6. Não guie a pessoa cega empurrando-a ou puxando-a pelo braço. Basta deixá-la segurar seu braço, que o movimento de seu corpo lhe dará a orientação de que precisa. Nas passagens estreitas, tome a frente e deixe-a segui-lo, mesmo com a mão em seu ombro;
  7. Não pegue a pessoa cega pelos braços rodando com ela para pô-la na posição de sentar-se, empurrando-a depois para a cadeira;
  8. Não guie a pessoa cega em diagonal ao atravessar em cruzamento;
  9. Não deixe portas e janelas entreabertas onde haja alguma pessoa cega;
  10. Não deixe objetos no caminho por onde uma pessoa cega costuma passar;
  11. Não deixe de se anunciar ao entrar no recinto onde haja pessoas cegas, isso auxilia a sua identificação;
  12. Não saia de repente quando estiver conversando com uma pessoa cega;
  13. Ao conduzir uma pessoa cega a um ambiente que lhe é desconhecido, oriente-a de modo que possa locomover-se sozinha;
  14. Não se constranja em alertar a pessoa cega quanto a qualquer incorreção no seu vestuário;

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:   http://www.institutodecegos.org.br

Como as pessoas cegas usam a Internet

Obviamente, as pessoas cegas não são capazes de enxergar as coisas da mesma maneira dos que não são cegos.

Ainda mesmo que seja verdade que a maior parte das pessoas cegas têm algum grau de visão, para todos os efeitos, pode-se dizer que as pessoas cegas não usam seus olhos para acessar a web, porque o que eles têm de visão útil não é suficiente para este tipo da tarefa. Isto significa que um monitor de computador e mouse não seria algo muito útil para uma pessoa cega. Não que as pessoas cegas são incapazes de mover um mouse ou clicar; o fato é que eles não sabem para onde deslocar o mouse ou quando clicar, uma vez que não podem ver o que está na tela.

Então, basta ver o modo como as pessoas cegas usam a internet?

A chave para os princípios de Acessibilidade na Web para os usuários cegos são:

  1. Perceptível: porque eles não podem perceber (ver) as informações visuais tais como imagens, layout, ou  informações baseadas em color-based.
  2. Operacionáveis: porque normalmente eles precisam de um teclado para operar (navegar) para que o conteúdo da web tenha funcionalidades, ao invéz de um mouse
  3. Compreensível: porque não podem ter acesso ou compreender o conteúdo que é apresentado em ordem lógica linear, ou que contenha textos alheios dispensáveis, palavra por palavra ou caracter por caracter (tais como longos endereços da Web), etc.
  4. Robusto: porque normalmente o tipo de ajuda técnica utilizada pelos cegos nem sempre são capazes de acessar  um vasto leque de tecnologias, especialmente se essas tecnologias são novas.

Leitores de Tela

Existem programas de software que convertem texto em voz sintetizada e as pessoas cegas são capazes de ouvir o conteúdo da web. Estes programas são geralmente chamados Leitores de tela, apesar de fazerem um pouco mais do que simplesmente ler a tela. Leitores de tela permitem aos usuários navegar pelo conteúdo da Web de muitas maneiras. O usuário pode simplesmente deixar que o leitor de tela leia tudo de cima para baixo, uma linha de cada vez, ou o usuário pode usar a Tecla TAB para navegar a partir de link para link. O usuário também pode navegar a partir de uma posição para a próxima (se o conteúdo da Web tem posições), a partir de uma moldura para a próxima (se houver frames), ou por outros métodos. Leitores de Tela comuns como o JAWS incluindo Window Eyes, e o Home Page Reader.

Leitores de tela também pode ser utilizado por aqueles que são surdos e cegos, mas em vez de transformar o texto em discurso, leitores de tela para surdos-cegos converter texto em Braille, em dispositivos que exibem caracteres em Braille  com atualização de texto automática, tais como o exemplo mostrado aqui: 

Dispositivos como este têm pequenos pinos que podem ser aumentados ou reduzidos para formar caracteres em Braille que os surdos-cegos pode sentir.

É impressionante pensar sobre o mundo de possibilidades que essas tecnologias abrem para as pessoas que são cegas. Foi deixado de lado o fato de pessoas cegas depender de outros para obter uma informação comum que outros consideram um direito adquirido, tais como jornais, revistas, declarações bancárias, transcrições escolares. No passado, quando os alunos cegos queria matricular-se em uma universidade  eles tinham que contar com a ajuda de outros para conseguir isso para eles. Eles tiveram de fazê-lo com outras pessoas, e sacrificar alguns dos seus direitos individuais. Agora, com a ajuda de um leitor de telas, os alunos cegos são capazes de usar a Internet baseado em sistema de registo em muitas universidades. Esta nova capacidade lhes proporciona um maior grau de independência que anteriormente era impossível obter.

Evidentemente, para a captura de informação é necessário que todo o conteúdo seja acessíveis para pessoas cegas, assim como para as tecnologias que utilizam.

Acessibilidade e o Teclado

É fato que os usuários de Leitores de Tela utilizam o teclado como meio principal para navegar na Web, e é um ponto em que os desenvolvedores precisam prestar atenção. Sem sequer perceber as consequências, alguns desenvolvedores de web site fazem seus programas de tal forma que ele só funciona se for acessado usando um mouse. Na maioria das vezes a inacessibilidade do teclado é resultado de eventos em JavaScript que dependem do clique ou do movimento do mouse. Por exemplo, qualquer caso desencadeado pelo evento “onmouseover” irá funcionar apenas quando o usuário mover o mouse sobre determinado objeto. Não há nenhuma maneira de acessar esse tipo de conteúdo usando apenas um teclado, sem fornecer qualquer outro método, quer em complemento, ou ao invés de um evento “onmouseover”.

Em alguns casos, não há necessidade de fornecer uma alternativa, tal como quando ocomando “onmouseover” desencadeia uma mudança cosmética para uma imagem (por exemplo, tornando a imagem com mais brilho ou alterar as cores). Alguém que seja cego provavelmente não vai se importar se a imagem mudou as cores. Esta informação é irrelevante.

Fonte: http://www.brasilmedia.com

Braille: Aprendendo

O Sistema Braille é um código universal de leitura tátil e de escrita, usado por pessoas cegas. Foi desenvolvido na França por Louis Braille, um jovem cego, a partir do sistema de leitura no escuro, para uso militar, de Charles Barbier. Utilizando seis pontos em relevo dispostos em duas colunas, possibilita a formação de 63 símbolos diferentes, usados em literatura nos diversos idiomas, na simbologia matemática e científica, na música e mesmo informática. A partir da invenção do sistema em 1825, seu autor desenvolveu estudos que resultaram em 1837 na proposta que definiu a estrutura básica do sistema, ainda hoje utilizada mundialmente. Por sua eficiência e vasta aplicabilidade, o sistema se impôs como o melhor meio de leitura e de escrita para as pessoas cegas. Porém o cego enfrenta a dificuldade de não encontrar ao seu redor pessoas que conhecem Braille, o que dificulda sua comunicação escrita.

Como ação afirmativa para a inclusão dos deficientes visuais na sociedade, a Universidade de São Paulo desenvolveu o Braille Virtual, com o qual pessoas que veêm poderão rapidamente aprender o sistema e estabelecer uma comunicação completa com os deficientes visuais.

Curso Braille Virtual

As pessoas que vêem não precisam do tato para ler em Braille. Com o aprendizado do sistema composto por 63 símbolos formados pela combinação de seis pontos em uma célula, o indivíduo que vê pode ler textos em Braille apenas substituindo as letras comuns pela nova simbologia.

Braille Virtual é uma animação gráfica que pretende facilitar o aprendizado do sistema. Com os símbolos divididos em grupos de 10, o usuário poderá perceber primeiramente quais pontos formam cada letra Braille. Num segundo momento há a repetição de cada letra, no intuito de facilitar a memorização. Terminada a animação, o usuário pode clicar em cada célula Braille disposta para repetir o aprendizado. A partir do segundo grupo de letras, ao se acrescentar ou retirar apenas um ponto do grupo anterior, forma-se um novo grupo de letras, acelerando o processo. O Braille Virtual é um curso livre e não oferece certificado.

 

Para acessar o curso virtual,

clique aqui: http://www.braillevirtual.fe.usp.br/pt/Portugues/braille.html

 

Fonte: http://www.braillevirtual.fe.usp.br/pt/

DIA DO CEGO

Dia do Cego: 13 de dezembro

O olho é o órgão responsável pela visão. Através dele podemos enxergar todas as coisas, ler, costurar, dirigir, assistir televisão, enfim, observar o mundo como ele é.

A visão é um dos cinco sentidos do corpo humano, mas também é um sentido presente nos animais. Porém, a visão não é perfeita para algumas pessoas. Existem problemas como miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia dentre outros, que tornam o ato de enxergar imperfeito.

Além desses problemas existem as pessoas que sofrem com a perda da visão, ficando com uma visão subliminar, outras apresentam o problema desde o nascimento.

Doenças como a rubéola podem causar problemas de visão nos bebês, caso a mãe seja contaminada no período de gestação.

Existem também aqueles que são totalmente desprovidos de visão, os deficientes visuais ou cegos.

Em razão desses problemas, foi criado um dia para essas pessoas, o dia 13 de dezembro, pelo presidente Jânio Quadros, que queria homenagear José Álvares de Azevedo, após este ter introduzido a leitura braile no Brasil.

No Brasil já existia o Imperial Instituto dos Jovens Cegos, que se localizava no Rio de Janeiro, criado por D. Pedro II. Hoje essa escola é mais conhecida como Instituto Benjamim Constant.

Mas a data também é conhecida como o dia de Santa Luzia, protetora da visão. A história da santa relata que a mesma fugiu de casa para não se casar com um homem que não gostava, pois na época os casamentos eram arranjados pelas famílias. O noivo de Luzia, revoltado, perseguiu a moça, entregando-a para as autoridades que a torturou, tendo os olhos arrancados. Porém, um milagre fez com que a moça recuperasse a visão, antes de sua morte, quando foi decapitada.

Por esse motivo, tornou-se a santa protetora das pessoas com problemas de visão.

Muitos anos se passaram e poucas coisas se modificaram para os deficientes visuais. O mundo não é adaptado para os mesmos, que são privados de várias coisas.

Para termos noção do quanto a vida dos cegos é difícil, basta pensarmos sobre as coisas que fazemos em nosso dia a dia. Ao entrar em um elevador, muitos deles não possuem a linguagem em braile, feita com pontinhos que simbolizam as letras e os números. Como um cego pode andar em um elevador sem pedir auxílio? Os produtos vendidos nos supermercados também não trazem essa leitura, impedindo que o deficiente visual identifique-os. Dessa forma, é muito difícil que uma pessoa cega faça compras sozinha, sem depender de alguém para lhe ajudar.

Mesmo com os recursos tecnológicos, ainda são grandes as dificuldades que eles sofrem. As escolas não são preparadas para trabalhar com alunos que apresentam problemas sérios de visão, muitos professores não tem formação adequada para desenvolver um bom trabalho, ficando os alunos a mercê das entidades especializadas.

Nem sempre esses programas podem ser feitos de forma gratuita, dificultando muito a vida dessas pessoas.

Ouvimos falar muito sobre a inclusão social, mas os deficientes visuais têm suas vidas privadas de muitas coisas que outras pessoas não sofrem. Precisamos repensar nossas atitudes e nossos valores quanto às diferenças físicas, pois todos merecem viver com dignidade, sendo tratados da mesma forma, tendo as mesmas oportunidades. Pense Nisso!

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Fonte: http://www.brasilescola.com.br


Twitter @vivamelhor

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.198 outros seguidores

Calendário

novembro 2019
S T Q Q S S D
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 977.672 hits

%d blogueiros gostam disto: