Arquivo para junho \29\UTC 2016

MENINGITE. O que é?

Junto com o frio, o inverno também traz mais casos de viroses. Muitas viroses podem chegar e ir embora sem causar incômodo. No entanto, casos de Zika, Dengue, Chikungunya e, agora, Meningite, tem sido mencionados nas mídias com preocupação, devido aos riscos de sequelas. Assim, mantenha-se informado para saber como agir e continue com seus hábitos saudáveis, na medida do possível, pois isto sempre será de grande ajuda para que seu corpo esteja pronto para combater qualquer doença.

Já falamos da Zika, Dengue e Chikungunya, em posts anteriores. Agora, nosso assunto será a Meningite.

3D medical image showing spine and brain in male figure

Cérebro e Coluna. Imagem: Freepik

O que é Meningite?

A meningite é uma inflamação das membranas (meninges) que envolvem o cérebro e a medula espinhal.

Principais tipos de Meningite

Meningite Viral: mais comum e menos perigosa. Transmissível por meio de alimentos, água, objetos contaminados e ocorrem entre o fim do verão e o começo do outono.

Meningite Bacteriana: menor incidência, comparada à meningite viral. É o tipo mais grave. Ocorre quando bactérias entram na corrente sanguínea e migra até o cérebro.

Meningite Fúngica: menos comum. Seus efeitos podem ser similares aos da meningite bacteriana, por isso inspira cuidados. Não é contagiosa de pessoa para pessoa.

Sintomas de Meningite

Os sintomas mais comuns da meningite são:

  • Febre alta repentina
  • Forte dor de cabeça
  • Pescoço rígido
  • Vômitos
  • Náusea
  • Confusão mental e dificuldade de concentração
  • Convulsões
  • Sonolência
  • Fotossensibilidade
  • Falta de apetite
  • Rachaduras e presença de manchas vermelhas na pele

Na consulta médica, descreva todos os seus sintomas e tire todas as suas dúvidas. É importante que saiba responder algumas perguntas abaixo:

  • Quando os sintomas começaram?
  • Teve contato com alguém que estivesse com meningite?
  • Tomou todas as vacinas indicadas?
  • Faz uso de medicamentos imunossupressor?

Fatores de Risco

  • Idade: a meningite viral costuma afetar crianças de até 5 anos. A forma bacteriana da doença geralmente atinge adultos na casa dos 20. E a meningite causada pela bactéria Listeria monocytogenes costuma vitimizar muitos idosos.
  • Viver em grandes centros urbanos, frequentar ambientes fechados e cheios de pessoas também podem aumentar os riscos de contrair meningite.
  • Gravidez: mulheres grávidas têm maiores chances de contrair listeriose e também a meningite bacteriana causada por Listeria monocytogenes.
  • Sistema imunológico comprometido: pessoas com baixa imunidade correm maiores riscos de apresentar meningite. Exemplo: portadores de Aids ou diabetes e usuários de drogas injetáveis.

Prevenção

A Meningite é geralmente resultado de contágio entre duas pessoas. Vírus e bactérias causadores da doença podem ser transmitidos via tosse, espirro, beijo ou compartilhamento de itens pessoais. Por isso, é importante evitar ficar muito próximo a pessoas portadoras de meningite e tomar os cuidados abaixo:

  • Lave sempre as mãos. Elas são a principal porta de entrada para muitas doenças
  • Não compartilhe itens de uso pessoal com outras pessoas, como copos ou escovas de dente
  • Mantenha um bom sistema imunológico, tendo cuidado com a alimentação, adotando hábitos saudáveis
  • Evite ambientes fechados com aglomeração de pessoas
  • Ao tossir ou espirrar, cubra a boca
  • Esteja em dia com as vacinas

 

Informações parciais das fontes:

Minha Vida: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/meningite

G1: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/07/em-perguntas-e-respostas-saiba-o-que-e-meningite-e-como-se-prevenir.html

Imagem: <a href=’http://www.freepik.com/free-photo/brain-and-spine-design_879669.htm’>Designed by Freepik</a>:

Anúncios

MILHO: Sustento de Vida

Pixabay Milho corn-776559_1920

Época de São João tem cheiro e gosto de milho. Seu nome tem origem caribenha e significa “sustento de vida”. Considerado um dos alimentos mais nutritivos que existe, o milho contém praticamente todos os aminoácidos. Pode ser encontrado na forma de mingau, creme, bolo, pipoca e, até mesmo, nas opções mais simples, como as saladas.

Podemos fazer diversos pratos com o alimento, sendo alguns considerados ícones da culinária brasileira, como: o curau, a pamonha ou a canjica. Além disso, o alimento também pode ser encontrado no fubá, em sua própria farinha e em subprodutos, como óleos, xaropes e, até mesmo, bebidas.

Além de fibras, possui proteínas, vitamina A, vitaminas do complexo B, ferro, potássio, fósforo, cálcio e celulose. É também uma boa fonte de carboidratos, ou seja, de energia, e é utilizado para fazer pães. O alimento não contém a proteína glúten, portanto pode ser utilizado por pacientes celíacos. Em função da boa quantidade de fibras, favorece uma melhora da função intestinal. Por ser uma opção de baixo índice glicêmico, é um bom alimento para pacientes portadores de diabetes tipo 1 ou 2. 

100 gramas de milho contêm cerca de 370 calorias distribuídas em proteínas (10g), gorduras (5g) e carboidratos (70g). Além disso, ainda encontramos 3g de fibras e vitamina E, vitamina B3, ácido fólico, potássio e fósforo. O ideal seria um consumo em torno de 2.000 calorias/dia para uma pessoa de 70 kg, calculando que a ingestão seja cerca de 1.200 calorias de carboidratos, 400 calorias de proteínas e 600 calorias sob a forma de gorduras. Dentro desse contexto da ingestão média diária de 2.000 calorias/dia, o milho pode integrar uma refeição balanceada nesses níveis proporcionais de quantidade calórica diária.

O consumo em excesso pode predispor a formação de depósitos de gordura no nosso organismo. Por essa razão, não se recomenda uma ingestão que possa ultrapassar a quantidade de calorias médias que um indivíduo deve ingerir em um período de 24 horas. O ideal é que a pessoa consuma abaixo de 450 gramas por dia.

Como temos grandes variedades de pratos que levam o milho em sua composição, o indivíduo pode escolher a melhor maneira de consumir o alimento, quer seja na sua forma natural, ou em cereais matinais, mingaus, tortas, polenta, pipoca, pamonha, canjica. É preciso apenas redobrar a atenção para a quantidade que está sendo ingerida, já que esse é um alimento calórico e que proporciona muita energia, podendo provocar o acúmulo de gordura. Se consumido de maneira correta na rotina, o milho só terá benefícios a proporcionar.

Informações parciais das fontes:

Minha Vida: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/17929-milho-e-rico-em-vitaminas-e-minerais-mas-deve-ser-consumido-com-moderacao

Revista Crescer: http://revistacrescer.globo.com/Crescer/0,19125,EFC1550298-5670,00.html


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.287 outros seguidores

Calendário

junho 2016
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 821,914 hits

Top 5


%d blogueiros gostam disto: