Arquivo para outubro \24\UTC 2016

Saúde Bucal: Saburra Lingual

lingua

A saúde bucal é tão prioritária quanto a saúde do corpo em geral. Seu corpo pode avisar que algo vai mal através de aftas, herpes, excesso de saburra e outros sinais na boca.

Não higienizar a boca pode trazer graves prejuízos ao corpo, pois nela se abriga uma grande quantidade de microorganismos que, além de causarem problemas conhecidos como: cárie, gengivite e periodontite, podem também desencadear graves inflamações e infecções acometendo órgãos vitais como o coração.

Neste post, vamos falar exclusivamente sobre a Saburra Lingual que consiste em uma camada esbranquiçada, amarelada ou amarronzada, composta por células descamadas, restos alimentares e bactérias no dorso da língua. Pode ocorrer quando há redução da saliva ou descamação da pele.

As bactérias presentes na saburra lingual degradam as proteínas, produzindo compostos sulfurados, responsáveis pelo mau hálito. Entre as bactérias estão presentes alguns tipos que podem causar doenças como: gastrite, pneumonia, endocardite bacteriana e até mesmo acidente vascular cerebral.

A saburra também pode ser sinal de doenças como: escarlatina, icterícia e deficiência de vitaminas do complexo B.

Por esses motivos, a limpeza diária da língua não pode ser esquecida ao escovar os dentes. A higienização deve ser realizada com a escova de dente, algumas escovas vem com raspadores no lado de trás da cabeça (veja figura abaixo), e/ou limpadores de língua. Consulte regularmente um profissional de odontologia para receber as orientações adequadas ao seu caso.

escova-post-saburra-lingual

Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/galerias/10210-preste-atencao-nos-sinais-que-a-boca-da-para-a-saude-do-organismo

Diferença Entre Lucrar e Ter Prejuízo

comunicado-revista-algo-mais-out-2016

Confira a Edição Digital da Revista Algo Mais: http://www.revistaalgomais.com.br

Tratando e Prevenindo a Osteoporose

No Dia Nacional e Mundial da Osteoporose, vamos falar em prevenção contra esta doença que atinge 1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 5 homens acima de 50 anos, no mundo.

Com a diminuição do estrógeno, as mulheres ficam mais suscetíveis ao desenvolvimento da osteoporose, por isso a prevalência da doença entre mulheres. Veja outros fatores de risco:

  • baixa ingestão de cálcio e/ou vitamina D
  • alcoolismo
  • sedentarismo
  • tabagismo
  • histórico familiar

Uma vez diagnosticada a doença, as recomendações costuma ser:

  • consumo ou suplementação de cálcio e/ou vitamina D: cuidado com os excessos, pois pode levar à formação de cálculos renais
  • exposição ao sol: para estimular a produção de vitamina D que facilita a absorção do cálcio, no corpo
  • exercícios físicos: prefira os funcionais e com algum impacto para estimular a regeneração óssea

Lembrando que as informações acima não substituem uma consulta médica. Tenha sempre um profissional de sua confiança, ok?

Quando falamos em quantidade adequada de cálcio a ser consumida, a Organização Mundial da Saúde e da Fundação Internacional da Osteoporose apresenta os seguintes números:

  • 1000 mg (1g) de cálcio por dia

Os valores variam para crianças e gestantes:

  • entre 1 e 3 anos: 500 mg
  • entre 4 e 8 anos: 800mg
  • entre 9 e 18 aos: 1300 mg
  • grávidas: 1200 mg

Confira abaixo, o vídeo contendo dicas simples e práticas de como prevenir e tratar a osteoporose:

 

Fontes:

https://www.tuasaude.com/alimentacao-para-osteoporose/

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/12/prevencao-da-osteoporose-e-feita-com-alimentacao-exercicios-e-sol.html

Combinações Saudáveis

pixabay-salmon-518032_1920

No Dia Mundial da Alimentação, falar sobre alimentação saudável é bater mais uma vez na mesma tecla já que falamos sobre assunto no Dia do Nutricionista e estamos sempre dando pitaco sobre a importância das boas escolhas na hora de encher o prato. Mas o assunto vale a pena ser revisto sempre, pois muitas doenças podem ser prevenidas ou mesmo curadas somente com a reeducação alimentar.

Então, vamos falar de “combinações saudáveis”.

Ao preparar seu prato, muitas vezes, a combinação de 2 alimentos pode resultar em inúmeros benefícios, devido à interação entre eles, melhorando a absorção das vitaminas pelo organismo ou bloqueando os malefícios de alguns alimentos.

Confira algumas combinações inteligentes abaixo:

Arroz + Feijão

O aminoácido metionina do arroz e a lisina do feijão formam a proteína, importante para a formação dos nossos tecidos.

Salmão + Salada de Alface, Agrião, Brócolis e Nozes

As vitaminas A (presente no agrião), D (presente no salmão), E (presente no brócolis) e K (presente no alface) precisam de gordura para serem absorvidas, daí que a gordura do salmão entra para exercer esta função.

Cenoura + Laranja

A vitamina C da laranja, combinada com o ácido fenólico da cenoura, baixa os níveis de colesterol ruim, além de prolongar a sensação de saciedade.

Feijão + Rúcula

A vitamina C aumenta em até 30% a absorção do ferro em vegetais.

Carne + Alecrim

O alecrim, quando aquecido, produz os ácidos: carnósico (anti-inflamatório) e rosmarínico (antioxidante). Essa dupla corta o efeito das toxinas da carne.

Tomate + Azeite

O tomate cru ou cozido é rico em licopeno (antioxidante) que neutraliza os radicais livres. Mas o licopeno precisa de gordura para entrar em ação. Daí que entra o azeite.

Ovo + Brócolis + Arroz Integral

O magnésio do arroz com a vitamina D do ovo, ajuda na absorção do cálcio do brócolis.

Atum + Frutas Vermelhas

O ácido elágico, presente no suco de frutas, aumenta a absorção do ômega 3 do peixe que reduz o colesterol ruim.

Fonte: http://super.abril.com.br/ciencia/as-9-combinacoes-de-alimentos-mais-saudaveis-da-culinaria

Saúde Mental: Fobias

pixabay-mulher-triste-portrait-1634421_1920

Medo ou fobia?

O medo é uma reação psicológica e fisiológica em resposta a uma possível situação de perigo. O medo nos prepara para enfrentar o perigo: o cérebro libera mais substâncias, o coração manda mais sangue, a mente fica em estado de alerta, os músculos ficam enrijecidos e a força física aumenta substancialmente.

A fobia é o medo desproporcional frente ao perigo real, capaz de imobilizar as pessoas, comprometendo sua qualidade de vida. 

Psicanalistas acreditam que as fobias tem origem comum e que, geralmente, as causas estão em situações vividas na infância. Como por exemplo: o medo de altura pode estar relacionado à insegurança do bebê ao dar seus primeiros passos. A fobia de sair à rua estaria relacionado ao medo da criança se perder dos pais.

Na opinião de psicólogos, a fobia pode surgir de 3 maneiras:

1- Por ouvir histórias ruins que fazem a pessoa ficar traumatizada com a situação.
2 – Por associação. Exemplo: A pessoa está ansiosa em um dia horrível, entra em um elevador e o associa ao momento ruim.
3 – Por ter passado pela experiência traumática com o objeto/situação de sua fobia.

Alguns tipos de fobia:

1. Agorafobia: medo de espaços abertos, da presença de multidões, da dificuldade de escapar rapidamente para um local seguro (em geral a própria casa). Muitas pessoas referem um medo aterrorizante de se sentirem mal e serem abandonadas sem socorro em público.

2. Fobia social: medo de se expor a outras pessoas que se encontram em grupos pequenos. Muitas vezes elas são restritas a uma situação, como por exemplo, comer ou falar em publico, assinar um cheque na presença de outras pessoas ou encontrar-se com alguém do sexo oposto. Muitas pessoas apresentam também baixa auto-estima e medo de criticas. Em casos extremos pode isolar-se completamente do convívio social.

3. Fobias especificas (ou isoladas): fobias restritas a uma situação ou objeto altamente específicos, tais como, animais inofensivos (zoofobia), altura (acrofobia), trovões e relâmpagos (astrofobia), voar, espaços fechados (claustrofobia), doenças (nosofobia), dentista, sangue, entre outros. A incapacitação da pessoa no dia a dia depende do tipo de fobia e de quão fácil é evitar a situação fóbica.

Dicas de prevenção

Procure ajuda de um profissional (médico, psicólogo, psicoterapeuta ou psiquiatra):

  • se você ou alguém próximo apresentar medo excessivo para vivenciar situações sociais;
  • se a ansiedade atrapalha sua vida ou se você notar que está interferindo na qualidade de vida de outra pessoa, afetando as atividades diárias.

Além disso, caso se sinta sozinho, avalie se este sentimento persiste mesmo quando está entre familiares e amigos próximos. A solidão pode estar associada à fobia social e pode levar à depressão. Portanto, confira as dicas abaixo para garantir seu bem estar:

  • Reconheça a solidão e entenda que é um sinal para fazer algo diferente do que você tem feito;
  • Tente interagir com os outros de forma positiva, incluindo alimentar-se com comidas saudáveis, praticar exercícios físicos e expor-se ao ar fresco;
  • Mostre linguagem corporal positiva e tente se interessar pelo que os outros falam;
  • Consulte um terapeuta ou converse com alguém de confiança. Não deixe o que faz mal consumir você.

 

 

Fontes:

http://www.minhavida.com.br/saude/temas/fobia

http://www.minhavida.com.br/saude/temas/fobia

http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2016/08/ter-uma-agenda-faz-bem-para-sua-saude-mental.html

Outubro Rosa 2016

Pixabay mulher rosa woman-1031508_1920.jpg

Há 8 anos realizamos a Campanha Outubro Rosa, falamos sobre novidades que surgem todo ano para dar continuidade ao principal objetivo deste movimento mundial: Conscientizar sobre o Câncer de Mama.

Os números continuam aumentando e, em 2016, são estimados 57.960 novos casos, segundo o Ministério da Saúde e o INCA (Instituto Nacional de Câncer).

Não existe uma razão única. Diversos fatores estão relacionados ao câncer de mama e a maioria das mulheres ainda pode redesenhar seu futuro, apenas melhorando seus hábitos.

Fatores de Risco

1 – Comportamentais / Ambientais: modificáveis

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa
  • Sedentarismo
  • Consumo de bebida alcoólica
  • Exposição frequente a radiações ionizastes (raio X, mamografia e tomografia)

2 – Histórico Hormonal:

  • Menarca antes de 12 anos
  • Não ter tido filhos
  • Primeira gravidez após os 30 anos
  • Não ter amamentado
  • Parar de menstruar após os 55 anos
  • Ter feito uso de contraceptivos orais por tempo prolongado
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de 5 anos

3 – Hereditários/genéticos – História familiar de:

  • Câncer de ovário
  • Câncer de mama em homens
  • Câncer de mama em mulheres, principalmente antes dos 50 anos.

Apenas 5 a 10 % dos casos da doença estão relacionados aos fatores hereditários.

Recentemente, a IARC (Agência Internacional de Pesquisa em Câncer) lançou a publicação IARC Handbook os Breast Cancer Screening que avalia diferentes métodos de rastreamento do câncer de mama. As evidências apresentadas no livro possuem vários pontos em comum com as Diretrizes do INCA / Ministério da Saúde para a Detecção Precoce do Câncer de Mama, publicado em 2015.

Nestas diretrizes, entende-se que:

  • a mamografia em mulheres com idade entre 50 e 69 anos reduz a mortalidade do câncer de mama
  • o rastreamento através do autoexame das mamas não garante a redução da mortalidade

Isto é, tenha sempre um médico de sua confiança e visite-o regularmente. Exames preventivos não devem ser substituídos pelo autoexame.

O Ministério da Saúde e o INCA lançaram uma Cartilha sobre o Câncer de Mama, com conteúdo de fácil entendimento e com informações atualizadas sobre a doença. Quem tiver interesse, vale a pena conferir.

Feliz Outubro Rosa!

Fontes:

http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/livro_deteccao_precoce_final.pdf

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/e03b508046404270b86dfa2d43a04cdb/Cartilha_câncer_de_mama_vamos_falar_sobre_isso2016_web.pdf?MOD=AJPERES&CACHEID=e03b508046404270b86dfa2d43a04cdb


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.287 outros seguidores

Calendário

outubro 2016
S T Q Q S S D
« set   nov »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 798,861 hits

Top 5


%d blogueiros gostam disto: