Posts Tagged 'São Paulo'

Como identificar e tratar o estrabismo, o problema que pode prejudicar a visão

O estrabismo é um desvio nos olhos que pode acontecer em qualquer idade. Se não for tratado adequadamente, o problema pode prejudicar a visão.

strabismus-950x514

 

O aposentado, Dionísio Tolomei, por exemplo, tem 73 anos e descobriu que tinha estrabismo há dois anos. Logo que percebeu uma alteração na visão, ele conta que procurou orientação médica imediatamente. “Quando falavam comigo ou quando eu fixava para responder, eu fechava uma vista para falar. Então comecei a sentir que ficava fora de foco se estivesse olhando com as duas vistas. Ai eu fechava um olho automaticamente para poder ver a pessoa. Procurei uma oftalmologista para eu fazer o tratamento. É o exercício que eu faço. A leitura uma das vistas tampada leio durante meio hora, com uma das vistas, depois leio meia hora com a outra vista, e depois com as duas. Já melhorei muito eu comecei o tratamento agora e vamos continuar o tratamento”.

A oftalmologista do Hospital Federal da Lagoa no Rio de Janeiro, Roberlí Bicharra, diz que o seu Dionísio fez bem em procurar por um oftalmologista quando percebeu que poderia ter estrabismo. “O estrabismo é uma emergência. Quando você identifica uma criança estrábica, ou um adulto, logo tem que ir ao médico, tem que tratar imediatamente para evitar a baixa visual que acontece por falta de uso do olho. Se o estrabismo começa antes do 5 anos, que a visão está desenvolvendo, e se você não trata neste período, você faz com que a visão não desenvolva bem nesse olho e depois você não consegue mais reverter o quadro”.

A oftalmologista, Roberlí Bicharra, também explica que o estrabismo pode ser tratado com uso de óculos, exercício para os olhos ou cirurgia.”Isso pode ser revertido com a melhora da própria doença que causa isso, um trauma, uma doença metabólica, problema de tireoide, por exemplo, um traumatismo, um diabetes, um AVC e o olho pode depois retornar a posição normal ou então você tem que ajudar através de exercício ortótico ou mesmo com uso de prismas e até, se não melhorar e for um ângulo importante, você utilizar a cirurgia”.

O Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Educação criaram o programa Olhar Brasil para oferecer assistência oftalmológica gratuita para a população.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.blog.saude.gov.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Oftalmologista dá dicas para evitar a vista cansada no trabalho

Trabalhadores que passam a jornada de trabalho em frente a computadores costumam sentir a visão embaçada, ter dificuldade para enxergar, oscilação da visão, ardência, lacrimejamento, dores de cabeça constantes ou olhos pesados ao final da jornada. Estes sintomas podem ser ocasionados pela chamada vista cansada.

180
De acordo com o oftalmologista Richard Yudi Hida, chefe do Setor de Catarata do Departamento de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo, a vista cansada surge pela diminuição da frequência do piscar, que pode ocasionar ressecamento dos olhos, olho vermelho, coceira, lacrimejamento, maior sensibilidade à luz e sensação de peso nas pálpebras.

— O incomodo é gerado pela má lubrificação e aumento da evaporação, diretamente ligada à atividade ocular interativa e estática dos olhos. Os sintomas podem se agravar se também estiverem presentes fatores como o estresse, a presbiopia (dificuldade em enxergar de perto devido a idade), o cansaço, a falta de sono, além da frequente exposição ao ar condicionado e à poluição — explica.

O especialista destaca que pessoas que trabalham em ambientes fechados, com ar condicionado, costumam ser acometidas pela vista cansada, pois o ar gelado e seco desencadeia o ressecamento dos olhos, expondo a superfície ocular da córnea.

Confira as dicas para evitar a vista cansada e aumentar a produtividade no trabalho:

* Piscar – Piscar várias vezes ajuda a lubrificar os olhos e previne irritações oculares. Quando estiver diante do computador, procure realizar intervalos de um ou dois minutos a cada 2 a 3 horas para descansar os olhos, piscando várias vezes seguidas e olhando para longe (mais que 6 metros)

* Iluminação – Controlar a iluminação também ajuda. Quando estiver usando um microcomputador, evite luzes que promovam reflexos na tela do microcomputador ou na mesa em que o mesmo está apoiado. Observe a intensidade das lâmpadas do ambiente e prefira a entrada de luz natural da janela. Equilibrar o contraste do ambiente com o do computador ajuda também a cansar menos o olho.

* Brilho – Reduzir o brilho produzido pelas superfícies planas e pela tela do computador é uma dica importante. Hoje, a maioria das telas dos computadores têm pouco reflexo. Aumentar a frequência de varredura do monitor (em Hz) pode reduzir o cansaço dos olhos (colocar acima de 70 Hz).

* Descanso e boa qualidade do sono – A privação do sono aumenta o risco de cansaço ocular. Ficar um longo tempo com os olhos abertos e passar noites em claro, afeta temporariamente a superfície ocular e a musculatura responsável para “focar” objetos, podendo causar sintomas como dores de cabeça, ardência, olho vermelho, lacrimejamento e oscilação da visão.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://diariogaucho.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Vem aí a 1ª Virada da Saúde de São Paulo

O Instituto Saúde e Sustentabilidade traz para São Paulo a Virada da Saúde. O evento, que acontecerá de 7 a 12 de abril, em comemoração ao Dia Mundial da Saúde, surge para conscientizar e aproximar a sociedade para o tema de uma forma diferenciada e lúdica, vinculado à urbanidade. Para isso, serão usadas diversas atividades para ampliar o conhecimento e alertar os cidadãos.

10996468_1615597511986594_7735918316162082600_n

A Virada da Saúde trabalhará 4 eixos: o Médico-Assistencial, com mutirões assistenciais de prevenção, diagnóstico e tratamento; o Bem Estar, com atividades de esporte, lazer e nutrição; a Educação, por meio de palestras, bate-papos, painéis e jogos; e a Cultura, com exposições, teatro, filme e intervenções artísticas sobre o tema.  A ideia é que as pessoas entendam a promoção da saúde como parte do seu dia a dia, veja a relação com a cidade e se identifique como um importante protagonista para alcançar qualidade de vida onde mora.

“Queremos mostrar que existe uma série de oportunidades para se alcançar o tema, além da visão assistencial e da doença, para a mudança da qualidade de vida, que o público tem dificuldade de alcançá-la. É importante desmistificar a distância entre a saúde e seus profissionais do público. O papel do cidadão, na promoção de sua própria saúde e de seus familiares e amigos nos centros urbanos é o que mais conta nos dias atuais”, explica Evangelina Vormittag, diretora presidente do Instituto Saúde e Sustentabilidade.

As atrações e atividades podem ser desenvolvidas por empresas, Organizações não Governamentais, Instituições Sociais, Movimentos e Coletivos, Empresas e Pessoas Físicas e serão aprovadas pelo Instituto Saúde e Sustentabilidade e Conselho Curador do evento. Durante todos os dias da Virada da Saúde serão ocupados espaços públicos e privados com atividades gratuitas para população, englobando o conceito de saúde pública, o viver nas cidades e o desafio da saúde do homem urbano. Para quem tem interesse em participar, entrar em contato pelo e-mail: contato@saudeesustentabilidade@org.br.

Parceria

Para a realização da Virada da Saúde, o Instituto Saúde e Sustentabilidade busca patrocínios, apoios e parcerias entre empresas, meios de comunicação e instituições. A ideia é conseguir recursos para a realização de 100% da programação prevista, para atingir o maior número de pessoas, em diversas regiões da cidade de São Paulo.

Os patrocinadores terão como contrapartida, além da exposição da marca, o relacionamento com as mais diversas iniciativas e instituições ligadas à saúde.

“O nosso diferencial é que não será investido o recurso em uma ação pontual, mas em 5 dias de intervenções e conscientização junto à sociedade”, ressalta Evangelina.

Para se Inscrever, entre em contato pelo telefone (11) 3266-6497 ou pelo e-mail: comunicacao@abqv.org.br

Venha participar conosco!

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.abqv.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

 

10 perguntas sobre Lombalgia

Má postura, inflamação ou mesmo hérnia de disco. As causas variam, mas trazem como consequência a famosa lombalgia, ou dor nas costas, que prejudica as atividades do dia-a-dia e a qualidade de vida. Saiba como evitar esse problema e viver muito melhor.

lombalgia

1. O que é lombalgia?

É quando uma pessoa tem dor na região lombar, ou seja, na região mais baixa da coluna perto da bacia. É também conhecida como “lumbago”, “dor nas costas”, “dor nos rins” ou “dor nos quartos”. Não é uma doença. É um tipo de dor que pode ter diferentes causas, algumas complexas, porém, na maioria das vezes o problema não é sério. Algumas vezes a dor se irradia para as pernas com ou sem dormência.

2. O que causa a lombagia?

Frequentemente o problema é postural, isto é, causado por uma má posição para sentar, para se deitar, para se abaixar no chão ou para carregar algum objeto pesado. Outras vezes pode ser causada por inflamação, infecção, hérnia de disco, escorregamento de vértebra, artrose (processo degenerativo de uma articulação) e até emocional.

3. Como é a lombalgia?

De duas maneiras: aguda e crônica. A forma aguda é o “mau jeito”. A dor é forte e aparece subitamente depois de um esforço físico. Ocorre na população mais jovem. A forma crônica geralmente acontece entre os mais velhos; a dor não é tão intensa, porém é quase permanente.

4. É importante fazer exames como a ressonância magnética?

Não. Mais de 90% das vezes o diagnóstico e a causa são estabelecidos com uma boa conversa com o paciente e com um exame físico bem feito. Em caso de dúvida, o passo seguinte é a radiografia simples.

5. E a densitometria?

É um exame usado em osteoporose, porém osteoporose não provoca dor. O que dói é a fratura espontânea de uma vértebra enfraquecida pela osteoporose. Portanto, na maioria das vezes, a densitometria não é necessária nos casos de lombalgia.

6. Ginástica faz bem?

Exercício físico é um excelente aliado da saúde, mas durante as crise aguda o exercício é totalmente contra indicado. Para recuperação, é recomendado repouso absoluto, deitado na cama. Uma alternativa é deitar de lado em posição fetal (com as pernas encolhidas). Não estão indicados na fase aguda: tração, manipulação, RPG, cinesioterapia, alongamento nem massagem.

7. Que remédios são indicados na crise de lombalgia aguda?

Receitado adequadamente por um profissional da saúde, os analgésicos e os anti-inflamatórios podem ser usados. Sedativos são úteis para ajudar a manter o paciente em repouso no leito. Nota-se que, quanto mais bem feito o repouso, menos medicamentos são necessários. Obviamente, deve-se tratar a causa da lombalgia.

8. Hérnia de disco tem de ser operada?

Não. Quase todos os casos regridem com repouso no leito, sem necessidade de cirurgia. Assim, a hérnia murcha e deixa de comprimir estruturas importantes, como os nervos. O tratamento cirúrgico está indicado apenas nos 10% dos casos em que a crise não passa entre 3 a 6 semanas, ou em pacientes que têm crises repetidas em curto espaço de tempo ou quando existem alterações esfincterianas (perda de controle para urinar e defecar).

9. Lombalgia na criança e no adolescente pode ser um alerta?

Sim. Enquanto no adulto a maioria das lombalgias tem causas e tratamentos simples, a dor lombar no adolescente é incomum e de causas que devem ser investigadas cuidadosamente pelo médico ortopedista.

10. Como evitar que uma lombalgia aguda se torne crônica?

Muitos fatores são importantes. A correção postural, principalmente na maneira de sentar no trabalho e na escola. Na fase aguda a ginástica não é indicada, porém, após o final da crise, a prática regular de exercícios físicos apropriados é importante.  Quando fizer exercício com pesos na ginástica, proteja a coluna deitando ou sentando com apoio nas costas. Sempre evitar carregar peso. Não permanecer curvado por muito tempo. Quando se abaixar no chão deve-se dobrar os joelhos e não dobrar a coluna. Evitar usar colchão mole demais ou excessivamente duro, principalmente se o indivíduo é muito magro.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.blog.saude.gov.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Expectativa de vida aumenta em todo o mundo

As pessoas estão vivendo mais em todo o mundo quando comparado há duas décadas. Isso se deve, em parte, à queda do número de mortes provocadas por doenças cardiovasculares em países de alta renda e à redução da mortalidade infantil em países de baixa renda.

expectativa-de-vida

Estudo publicado nesta quinta-feira (18) pelo periódico The Lancet, feito em 188 países – inclusive no Brasil – mostra que a expectativa de vida global para ambos os sexos passou de 65,3 anos em 1990 para 71,5 anos em 2013. As mulheres alcançaram resultados ligeiramente melhores que os homens – a expectativa de vida entre elas aumentou 6,6 anos e, entre eles, 5,8 anos.  A previsão do documento é que, se as tendências registradas nos últimos 23 anos se mantiverem, até 2030 a expectativa de vida das mulheres será 85,3 anos e a dos homens, 78,1 anos.

O estudo revela ainda que as principais causas de morte variam de país para país mas, em nível global, transtornos relacionados ao uso de drogas e doenças crônicas dos rins respondem por parte considerável do aumento de óbitos prematuros registrado desde 1990. As mortes provocadas por alguns tipos de câncer, como pâncreas e rins, também aumentaram.

Ao mesmo tempo, segundo o relatório, foram identificados grandes avanços na redução da mortalidade decorrente de doenças como sarampo e diarreia, com quedas de 83% e 51%, respectivamente, entre 1990 e 2013. Ainda de acordo com o levantamento, três condições respondem por quase 32% do total de mortes registradas no ano passado em todo o mundo: doença isquêmica do coração, derrame e doença pulmonar obstrutiva crônica.

A pesquisa identificou também que, mesmo diante de melhorias na longevidade de países de baixa renda, os desafios na saúde enfrentados por nações como a Bolívia, o Nepal e a Nigéria são bem diferentes dos registrados no Japão, na Espanha e nos Estados Unidos.

 

Os desafios de diversos países de renda média, como a China e o Brasil, se aproximam mais dos de países ricos. A idade média com que as pessoas morrem aumentou de 46,7 em 1990 para 59,3 em 2013. O estudo indica que, devido ao crescimento da população global, entre outros fatores, o número de mortes em ambos os sexos e em todas as faixas etárias combinadas aumentou de 47,5 milhões para 54,9 milhões no mesmo período.

O número de pessoas que morreram em razão de condições como doença do coração aumentou conforme a população foi crescendo, mas caiu entre faixas etárias específicas propensas a essas condições, um sinal, segundo o relatório, de progresso. Os índices de morte por câncer, incluindo câncer de mama, cervical e de cólon, caíram, enquanto o câncer de pâncreas, o de rim e o linfoma de não-Hodgkin registraram aumento de óbitos.

O documento destaca como “tendência encorajadora” o fato de as pessoas viverem mais atualmente, mas ressalta que é preciso garantir políticas públicas capazes de preparar para os desafios da saúde e os custos associados que estão por vir.

Confira as principais causas de morte em todo o mundo (acompanhadas do número de óbitos):

2013
1. Doença isquêmica do coração (8.139.900)
2. Derrame (6.446.900)
3. Doença pulmonar obstrutiva crônica (2.931.200)
4. Pneumonia (2.652.600)
5. Mal de Alzheimer (1.655.100)
6. Câncer de pulmão (1.639.600)
7. Ferimentos em acidentes de trânsito (1.395.800)
8. HIV/aids (1.341.000)
9. Diabetes (1.299.400)
10. Tuberculose (1.290.300)

1990
1. Doença isquêmica do coração (5.737.500)
2. Derrame (4.584.800)
3. Pneumonia (3.420.700)
4. Doenças diarreicas (2.578.700)
5. Doença pulmonar obstrutiva crônica (2.421.300)
6. Tuberculose (1.786.100)
7. Complicações neonatais decorrentes de parto prematuro (1.570.500)
8. Ferimentos em acidentes de trânsito (1.058.400)
9. Câncer de pulmão (1.050.000)
10. Malária (888.100)

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.blog.saude.gov.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Saiba como evitar a Dor na Coluna

Cerca de 27 milhões de pessoas sofrem de dores na coluna no Brasil, o que representa mais de 18% da população adulta brasileira. É o que mostra a Pesquisa Nacional de Saúde, realizada recentemente pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE.

9e8dchh3ddfeuskvyzo3h75xt

O ortopedista do Into, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Luis Eduardo Carelli, explica o que favorece as complicações de coluna.”As principais causas de origem posturais tanto as pessoas que trabalham sentadas de uma forma inadequada. Existem situações que causam dores na coluna, causas degenerativas. são as chances das pessoas ter desgastes, fenômenos de artrose, fenômenos degenerativos, pode causar dor na coluna vertebral. Em algumas vezes essas dores são irradiadas tanto para as pernas, para os braços e às vezes sentindo dormência e em alguns casos até perda de força também”.

O aposentado de 52 anos, Wilson de Sousa, trabalhava como mecânico. Ele teve desvio na coluna por causa das peças pesadas que costumava carregar. Neste mês, Wilson vai fazer cirurgia no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, no Rio de Janeiro. Ele conta que está otimista com a cirurgia. “A mecânica você tem que pegar peso, fazer certos movimentos com o peso que eu não pude fazer mais, porque passava a doer a coluna. Não pegar peso, não abaixar, não fazer esforços de subir escada muito alta. Impacto qualquer que atinja a região da lombar onde você sente dor, você não aguenta, você para e fica, parar de não poder andar. Eu acho que vai haver uma melhora. Se eu tivesse que pagar lá fora, eu preferia fazer aqui, por causa do que todos falam, que é o melhor do Rio de Janeiro”.

O ortopedista do Into, Luis Eduardo Carelli, ressalta qual a maneira mais adequada para carregar objetos pesados e evitar esforços que possam prejudicar a coluna. “Se uma pessoa que carrega peso ou até um trabalho simples no ambiente doméstico, se você for pegar uma sacola pesada ou um objeto muito pesado no chão a gente recomenda que não faça a flexão do tronco, inclinar o tronco para frente. A gente recomenda que a pessoa dobre as pernas, abaixe para pegar esse objeto e traga ele bem próximo ao corpo e levante com ele bem próximo ao corpo, para esse abaixar e pegar de uma maneira flexionada não ocorra nenhuma sobre carga na coluna”.

Para evitar dores e complicações na coluna, a recomendação do Into é evitar pegar objetos pesados, sentar de maneira correta, praticar exercícios físicos regulares e procurar orientação médica em caso de dor intensa nas unidades básicas de saúde do país.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.blog.saude.gov.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Diagnóstico precoce de câncer de próstata permite 98% de sobrevida

O diagnóstico precoce do câncer de próstata dobra a chance de sobrevida, revela estudo inédito do A.C. Camargo Cancer Center, de São Paulo.

prostate-cancer

Foram avaliados 2.293 pacientes, com idade média de 65 anos, diagnosticados com câncer de próstata e tratados na instituição desde 2000.

Desse total, 76% dos homens tiveram o tumor diagnosticado no estágio inicial, quando ele estava localizado. Dez anos depois, 98% deles estavam vivos. No estágio 4 (com metástase), menos da metade permanecia viva (46%) no mesmo período.

Segundo o médico Gustavo Guimarães, chefe de urologia do A.C. Camargo, os resultados mostram que é preciso investir mais no diagnóstico precoce, o que está longe da realidade do sistema público de saúde. No Estado de São Paulo, 30% dos tumores de próstata são diagnosticados na fase avançada. Nos EUA, esse valor é de 4%.

O câncer de próstata é o segundo tumor mais frequente no homem brasileiro, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. A estimativa é de que, em 2014, sejam 69 mil novos casos.

Além da sobrevida maior, o diagnóstico precoce possibilita o uso de procedimentos menos invasivos (cirurgias por videolaparoscopia ou robótica), que se traduz em recuperação mais rápida.

“Conseguimos diminuir pela metade o tempo em que o homem fica impotente ou precisando de fraldas [incontinente]. Na cirurgia tradicional, vai de um ano a um ano e meio. Com a robótica, reduzimos para seis meses.”

Com o aposentado Moacyr Batista da Silva, 65, a recuperação foi ainda mais rápida. Ele teve o câncer diagnosticado em fevereiro e, em agosto, fez a cirurgia com robô.

“Com dois meses, deixei de usar a fralda e já estava tudo em ordem [também com a potência sexual]. Meu irmão fez a cirurgia tradicional cinco anos atrás e demorou dois anos para se recuperar”, diz.

Segundo o urologista Alberto Antunes, do Hospital Sírio-Libanês, embora cirurgias menos invasivas possibilitem recuperação mais rápida, as chances de o paciente ficar permanentemente impotente ou incontinente independem do tipo de procedimento.

Ele explica que logo após a retirada da próstata, 30% dos pacientes precisarão de fraldas. Só de 3% a 4% ficarão com o problema para sempre.

Já a impotência atinge a todos no início. Entre os homens de até 55 anos, 80% recuperam a potência. Depois dos 70 anos, só 20% terão essa sorte. “Mas hoje só fica com disfunção quem quiser. Temos inúmeras opções, de medicamentos a próteses”, diz Antunes.

Assim como a maioria dos homens, Silva não fazia os exames preventivos regulamente. Médicos e a Sociedade Brasileira de Urologia recomendam PSA (exame de sangue) e toque retal anualmente a partir dos 50 anos.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.folha.uol.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.287 outros seguidores

Calendário

agosto 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 798,861 hits

Top 5


%d blogueiros gostam disto: