Arquivo para março \30\UTC 2012

Dia da Saúde e Nutrição 2012

Anúncios

Alimentação Saudável: 60 Dicas para Você

Se você deseja emagrecer, não sabe por onde começar e pretende partir para o “tudo ou nada”, espere um pouco e reflita. Será que vale a pena arriscar a sua saúde para ficar magro rapidamente? Pense bem, será que não é hora de adotar uma alimentação saudável?

O nosso corpo, quando entra em uma alta restrição alimentar, não entende o que está acontecendo. Ele não sabe distinguir se a deficiência energética é porque desejamos ter um corpo mais bonito ou se esperamos ficar mais saudáveis.

Imagine-se no deserto, onde há pouca comida, pouca água. O que acontecerá quando encontrar alimento e bebida? Você sentirá vontade de devorar o mundo e comer tudo que vê pela frente, não é verdade? Nada mais natural, já que o nosso organismo entende que devemos nos preparar para a próxima restrição, armazenando uma parte do que ingerimos, o que dificulta o emagrecimento.

O que isso significa? Que altas restrições alimentares não são boas para você, definitivamente não é alimentação saudável e não irá ajudá-lo a eliminar peso com saúde e muito menos o ajudará no período de manutenção.

Então, esqueça o “tudo ou nada” e siga as próximas 60 dicas para que possa ter uma alimentação saudável e uma vida melhor.

1. Evite dietas milagrosas em que há uma grande eliminação de peso em um curto período de tempo.
2. Não faça uma alimentação baseada em um único tipo de alimento ou nutriente.
3. Mesmo tendo exagerado nos dias anteriores, faça, pelo menos, 5 refeições por dia.
4. Pequenos lanches entre as refeições principais irão evitar a vontade de devorar o primeiro prato que encontrar pela frente.
5. Não belisque entre as refeições.
6. Esqueça dos snacks (salgadinhos) e da bolacha recheada.
7. Deixe na gaveta do escritório barrinha de cereais, bolacha integral (ingira, no máximo, 3 unidades).
8. Frutas e iogurtes light são excelentes lanches.
9. Se tiver vontade de comer um doce, coma-o. Mas lembre-se: somente um pedaço ou unidade. Isso é melhor do que devorar uma caixa de bombom no final do dia.
10. Comece sempre a refeição com um caprichado prato de saladas.
11. Evite o uso de óleos para temperar as saladas. Use vinagre ou suco de limão.
12. Macarrão é permitido, mas cuidado com o molho.
13. Molho branco, quatro queijos, bolonhesa são muito mais calóricos quando comparados com o ao sugo. Portanto, não abuse!
14. Não repita a refeição.
15. Evite beber refrigerantes, mesmo os light ou diet.
16. Evite água gaseificada. Bebidas com gás dilatam o estômago dando uma falsa sensação de saciedade.
17. Bebidas isotônicas devem ser evitadas. São calóricas e, para não atletas, a água ainda é o melhor hidratante.
18. Prefira sucos naturais.
19. Utilize adoçante nos sucos e no cafezinho.
20. Beba, no máximo, 4 xícaras pequenas de café por dia.
21. Ingira bastante água durante o dia. No mínimo, 1,5 litro ou 8 copos.
22. Leve sempre uma barrinha de cereais na bolsa. Quando bater aquela vontade de comer alguma coisa, você já sabe a que recorrer.
23. Ingira legumes todos os dias.
24. Coma pelo menos 2 frutas diariamente.
25. Prefira ameixa, melancia, melão, morango que são menos calóricas.
26. Cuidado com as frutas secas. Por serem desidratadas é fácil ingerir mais calorias com as naturais.
27. Ingira carnes menos calóricas como peixe, frango (peito), peru, patinho, contrafilé.
28. Cuidado com o salmão. Ele apresenta mais calorias do que outros peixes.
29. Retire a pele das aves. Ela contém basicamente gordura.
30. Evite atum e sardinha conservados em óleo. Já existe a versão light.
31. Miúdos e vísceras são ricos em gorduras saturadas. Então, minimize o consumo desses alimentos.
32. Retire a gordura visível das carnes, como por exemplo, a da picanha.
33. Evite alimentos fritos. Dê preferência aos grelhados ou cozidos.
34. Embutidos (mortadela, presunto, salame) devem ser evitados.
35. Enlatados são ricos em sódio; por isso, prefira os alimentos naturais.
36. Manteiga, creme de leite, chantilly, massa podre são ricos em calorias e colesterol. Evite-os.
37. Queijos amarelos (mussarela, provolone, prato, parmesão) devem ser evitados.
38. Dê preferência aos queijos brancos como o de minas, frescal, ricota e cottage.
39. Evite as preparações gratinadas.
40. Dê preferência aos alimentos desnatados como leite e iogurtes.
41. Se não tem boa aceitação ao leite desnatado, fique com o semidesnatado.
42. Evite chocolates, inclusive o diet.
43. Ingira alimentos ricos em fibras como legumes, verduras e frutas.
44. Consuma maçã, pêra, uva com a casca.
45. Pizza prefira as menos calóricas como de escarola, rúcula, mussarela. Mas fique somente na primeira fatia.
46. Tomate seco, por ser conservado em óleo, deve ser evitado.
47. Bebidas alcoólicas são calóricas. Consuma esporadicamente e em pequena quantidade.
48. Uma taça de vinho diariamente faz bem para a saúde. Mas nada adiantará se não tem o hábito da boa alimentação e é sedentário.
49. Em barzinhos evite os petiscos como amendoim, batata frita, castanha de caju, carne seca ou salgadinhos.
50. Evite os fast-food. Os alimentos servidos são normalmente ricos em gorduras.
51. Se não tiver saída, prefira uma unidade de cheeseburguer, refrigerante light e batata frita pequena. Dispense a sobremesa.
52. Em restaurantes por quilo, passe primeiro por todas as opções antes de escolher os alimentos. Isso evitará exageros.
53. Para a sobremesa, prefira frutas da época.
54. Evite sorvetes de massa. Opte pelo picolé de fruta.
55. Em sorveteria por quilo, prefira os sorvetes de frutas. Passe reto pelas coberturas e chantilly.
56. Nunca vá ao supermercado com fome. Vá sempre após uma refeição. Isso evitará pegar balas, chocolates e salgadinhos.
57. Não compre alimentos que devem ser evitados.
58. Compare os rótulos dos alimentos e verifique se os light e diet são menos calóricos. Nem sempre isso é verdade.
59. Nunca acumule a fome. Por isso deixe na geladeira legumes picados (cenoura, pepino, salsão) e gelatina diet. Eles não prejudicarão o seu emagrecimento.
E, por fim, vale essa dica:
60. Movimente-se!! Você não precisa ir à academia! Caminhar 3 vezes por semana pelo bairro, por 40 minutos cada sessão, irá ajudá-lo a ter mais saúde!

Por:
Roberta Stella – Nutricionista formada pela Universidade de São Paulo (USP)

Informações parciais. Confira o texto na íntegra acessando o site: Cyberdiet.terra.com.br

Gorduras Alimentares: Quais são e como devem ser Consumidos

Um levantamento realizado pelo Hospital Estadual Dante Pazanese com 600 pacientes com problemas cardíacos mostrou que muitos deles têm dúvida sobre quais tipos de gorduras devem ou não comer.

Dos pacientes consultados, 55% desconheciam o benefício das gorduras insaturadas. Elas atuam no combate ao mau colesterol (LDL) e no aumento do bom colesterol (HDL).

O levantamento também mostrou que 67% dos entrevistados não têm o hábito de ler o rótulo dos alimentos.

O coordenador da pesquisa, o cardiologista Daniel Magnoni, diz que muitas vezes a população tem dificuldade de compreender a orientação médica por não estar habituada aos nomes científicos.

“As pessoas confundem saturado e insaturado. Também não têm o hábito de ler os rótulos e, quando leem, não compreendem”. Para ele, a pesquisa ajudará os médicos a orientarem melhor seus pacientes.

A tabela abaixo, elaborada com informações das nutricionistas Mônica Romualdo, coordenadora do ambulatório de nutrição do Instituto Dante Pazzanese, e Fernanda Pisciolaro, da Abeso (associação de estudo da obesidade), ajudam a esclarecer quais são os principais tipos de gordura, seus efeitos no corpo e em que alimentos estão presentes.

A porção diária recomendada vale para pessoas com necessidade de 2.000 calorias por dia. Esse número é a média de calorias que a maioria dos adultos precisa ingerir por dia para manter o peso estável.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra acessando o site: Folha.uol.com.br

Calendário 2º Trimestre 2012

Bem-Estar: Jogo das Calorias

10 Alimentos que Parecem Saudáveis, Mas Nem Sempre São

Se você anda trocando uma “saladinha” pelo almoço ou fazendo substituições de alimentos supostamente engordativos, por outros que carregam o estigma de “light”, atenção. Existem algumas armadilhas na alimentação que podem justamente causar o efeito contrário ao esperado. A nutricionista e especialista em dietas Katherine Brooking forneceu ao site do canal americano Fox News dez dicas de alimentos que parecem saudáveis mas, na verdade, nem sempre são. Confira abaixo.

Saladas elaboradas
Um erro comum é assumir que tudo que envolve a palavra “salada” tem que ser saudável. Saladas com atum, frango e camarão frequentemente são carregadas de maionese, com gorduras e calorias escondidas entre seus ingredientes. Sendo assim, se for fazer essa escolha, dê preferência à maionese light e fique de olho ao tamanho da porção. Melhor ainda se você fizer a própria salada em casa – assim pode controlar a quantidade e, sobretudo, os ingredientes.

Pães multigrãos
As embalagens que trazem o termo “multigrãos” geralmente atrai pois isso soa como algo muito saudável. No entanto, eles nem sempre trazem grãos integrais, que são bons para o coração. Muitos deles são preparados com grãos refinados, logo, não trazem o benefício nutricional provido por um grão integral. Como discernir? Katherine explica que é importante ler as informações nutricionais com muita atenção. Em primeiro lugar, observe na lista se a farinha é refinada, pois, se for, este pão não é 100% integral.

Pasta de amendoim com gordura reduzida
A especialista indica que a versão com menor percentual de gordura da pasta de amendoim não é necessariamente mais saudável do que a versão comum. Ambas contêm muitas calorias, mas geralmente a versão com menos gordura tem mais açúcar. Embora seja sim, mais indicado consumir as versões menos gordurosas dos alimentos, a regra não pode ser levada à risca. A pasta de amendoim normal é uma boa fonte de gorduras “do bem”, monossaturadas. Katherine indica que o ideal é procurar nos ingredientes as marcas que não contêm óleos adicionados, mas, melhor ainda, é sempre preparar uma pasta caseira.

Barras de cereais
As barrinhas são vistas como uma ótima alternativa para enganar a fome. Porém, muitas são cheias de xarope de milho – rico em frutose -, açúcar e gordura saturada. Além disso, muitas marcas contém mais de 350 calorias. Para repor carboidratos e proteínas após um treino pesado ou caminhada, existem outras alternativas, como queijo magro ou três bolachas de água e sal integrais. Até mesmo uma barra de granola, feita em casa, pode ser uma boa pedida.

Bolinhos de cereais
Muitos bolinhos feitos com grãos ou cereais são feitos com ingredientes saudáveis mas, neste caso, o problema é o tamanho da porção. Em alguns restaurantes, um bolo pode chegar a 350 calorias – isso sem contar os acompanhamentos como geleia e manteiga. É bom lembrar que mesmo os alimentos saudáveis, quando consumidos em excesso, acabam deixando de ser bons para o organismo. Sendo assim, quando quiser comer um bolinho, e a porção for grande, coma apenas metade. Guarde a outra pra mais tarde. Se quiser economizar, no bolso e nas calorias, faça em casa, em porções menores.

Smoothies
Por serem feitos à base de frutas, os smoothies de um modo geral têm um aspecto muito saudável. Muitos misturam frutas com iogurte natural sem gordura. Mas, mais uma vez, o problema é o tamanho. É preciso ficar atento a lugares que vendem copos muito grandes, ou combinam a bebida a ingredientes como açúcar e sorvete, adicionando muitas calorias à receita. Quando combinados a estes elementos, um copo pode chegar a até 500 calorias. O smoothie pode ser uma boa maneira de começar o dia ou de recompor as energias após a malhação, mas lembre-se de sempre contar as calorias de acordo com o que já foi consumido ao longo do dia.

Peru
O peru é uma ótima fonte de proteína magra e uma boa escolha para um jantar mais light, mas as versões de peru embalados são muito carregadas de sódio. Algumas marcas contém um terço do consumo diário recomendado para um dia. Sendo assim, fique atento ao rótulo e opte por marcas com menor taxa de sódio.

Alimentos livres de gordura
Muitas pessoas optam por alimentos que trazem em seus rótulos a mágica expressão “zero de gordura”, mas Katherine observa que, ainda que sejam mais leves, eles não são livres de calorias. Obviamente são mais saudáveis, mas é importante checar as informações nutricionais para se certificar que está levando para casa um alimento rico em nutrientes. Calorias, sódio, fibras, vitaminas e minerais são aspectos que devem ser considerados na hora da compra.

Baked potatoes
As batatas recheadas vendidas em restaurantes e shoppings, também conhecidas como “baked potatoes”, aparentemente parecem ser muito saudáveis por serem naturais. As batatas são ricas em vitamina C, potássio e fibra e, além disso, têm em média 160 calorias. No entanto, muitos restaurantes carregam o prato com manteiga, creme de leite, queijo, bacon e outros ingredientes que acabam aumentando o número de calorias para 600, além de muitas gramas de gordura. Dê preferência às porções menores ou às feitas em casa, com ingredientes mais leves como frango cozido.

Bebidas esportivas
As bebidas “esportivas”, muito consumidas depois de um treino pesado na academia, são ricas em potássio em sódio. Elas são indicadas para quem treina pesado e não devem ser uma alternativa depois que você desenvolveu alguma atividade leve. Muitas bebidas deste tipo chegam a ter 125 calorias por garrafinha. Dê preferência a água natural ou uma bebida com menor valor calórico e mate sua sede.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra acessando o site: Saúde.terra.com.br

Alimentos do Outono: Nutrientes para Aproveitar

O outono chegou e, com ele, os dias se tornam de clima ameno e à noite dá aquele friozinho. Com a mudança da estação, entra uma nova safra de verduras, legumes e frutas – aliás, a estação é considerada a das frutas, devido à grande variedade encontrada nesta época.

Veja a seguir uma lista de 28 alimentos da safra elaborada a pedido do Terra pelas seguintes especialistas: Alessandra Paula Nunes; Paula Riccioppo e Polliana Neves de Sá, nutricionistas, no Rio de Janeiro.

Abacate: rico em gorduras monoinsaturadas e fibras. Ajuda a controlar o colesterol, melhora o sistema circulatório e a pele. Contém ácido fólico, que auxilia na prevenção de efeitos congênitos (que nascem com a pessoa), e potássio, indicado para inchaços, fadiga, depressão, problemas cardíacos e derrames.

Abobrinha: encontrada de março a maio, é fonte de vitaminas do complexo B e possui poucas calorias. Contém também minerais como fósforo, cálcio e ferro.

Agrião: rico em vitamina C e iodo, importantes para a produção de colágeno, cicatrização, metabolismo, além de colaborar na manutenção de peso e emagrecimento.

Almeirão: fonte de cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A e B2. Ajuda no metabolismo, auxiliando no emagrecimento, formação de ossos e contração muscular, produção de células sanguíneas.

Banana: repleta de potássio, é importante para a contração dos músculos. A fruta protege contra doenças cardíacas, já que mantém o equilíbrio de líquidos e evita o acúmulo de placas nas artérias. É rica em fibras e, por isso, benéfica para a digestão, aliviando e restaurando o intestino após a prisão de ventre ou a diarreia. Age como antiácido, sendo indicada em casos de azia, gastrite e úlcera.

Batata-doce: é fonte de potássio e cálcio, importantes na formação de ossos, contração muscular e na diurese.

Berinjela: fonte de vitaminas e minerais, tem antocianina, fitoquímico antioxidante que preserva o organismo de doenças crônicas não transmissíveis. É um alimento pouco calórico e proporciona uma sensação de saciedade (devido o seu alto teor de fibras). É rico em proteínas, vitaminas C (poderoso antioxidante), B1 (importante para o metabolismo energético do organismo), B2 (participa na formação de hemácias). Possui também uma boa quantidade de minerais, como cálcio (formação óssea e dentária), ferro (transporte de gases no sangue) e magnésio (atua como relaxante muscular). Estudos recentes apontam que a berinjela ajuda a reduzir o colesterol.

Beterraba: a melhor época para adquiri-las é de março a maio. Sua cor vermelho-arroxeada deve-se à presença da betalaína, um corante que é importante antioxidante. Diferentemente do que muitos pensam, não é fonte de ferro (contém apenas cerca de 0,8 mg) em sua composição. Esta hortaliça contém betacaroteno (um precursor da vitamina A), B1, B2, B5, e apresenta ainda minerais como o cálcio, sódio, fósforo e o silício, que é parte integrante do colágeno; e o zinco, que juntamente com o ferro e o cobre ajuda na formação de glóbulos vermelhos.

Brócolis: começa a ficar bonito em junho. Contém grande quantidade de vitaminas C e A, ácido fólico, potássio e selênio. Também é fonte de fósforo, ferro, cálcio e fibras. Os teores de cálcio são próximos ao do espinafre, com a vantagem de serem mais digestíveis.

Caqui: é rico em fibras e vitaminas A, C, B1 e B2. Possui cálcio e ferro. A fruta é considerada um antioxidante por combater os radicais livres (relacionados ao envelhecimento precoce, a alguns cânceres, entre outras doenças).

Chuchu: fonte de potássio e vitaminas A e C, importantes na boa aparência da pele e visão. É diurético.

Coco: o valor nutritivo da fruta varia de acordo com seu estado de amadurecimento. De maneira geral, apresenta bom teor de sais minerais (potássio, sódio, fósforo e cloro) e fibras, importantes para o estímulo da atividade intestinal, além de ser diurético.

Espinafre: fonte de ferro e tem importante função no trabalho das células sanguíneas.

Figo: possui boa quantidade de magnésio, potássio, cálcio, ferro e fibras. Na fruta, destaca-se a pectina, uma fibra solúvel que ajuda a reduzir o colesterol no sangue. O consumo de figos juntamente com uma fruta cítrica ou outra fonte de vitamina C aumenta absorção de ferro pelo organismo.

Goiaba: rica em vitaminas A, B1 e C, além de possuir cálcio, fósforo, ferro e fibras insolúveis. Não contém muito açúcar, gordura e calorias. Auxilia no combate a infecções e hemorragias; fortifica os ossos, os dentes e o músculo cardíaco; melhora a cicatrização e o aspecto da pele, retardando o envelhecimento; regula o aparelho digestivo e o sistema nervoso; e dá maior resistência física. Auxilia no metabolismo de carboidratos, ajudando no emagrecimento.

Jiló: fonte de cálcio, fósforo e ferro, além de vitaminas A, B e C.

Kiwi: são encontrados facilmente de abril a setembro. É uma fruta rica em vitamina C, E e potássio. Fonte de pectina, uma fibra que ajuda a controlar o nível de açúcar e colesterol no sangue. Tem efeito laxativo. Pode-se utilizá-lo como amaciante de carnes, por sua acidez.

Laranja: rica em vitamina C, cálcio, fósforo e ferro. Melhora a imunidade e apresenta vários antioxidantes, que ajudam a reduzir o colesterol, as inflamações e a bloquear as células cancerígenas. Contém fibras que auxiliam na diminuição dos problemas intestinais, além de dar energia. Também auxilia na produção de colágeno da pele.

Limão: rico em flavonoides cítricos, como a vitamina C, tem importante função antioxidante (combate os radicais livres, relacionados ao envelhecimento precoce e alguns cânceres). Apresenta alto teor de sais minerais. Fortalece a imunidade, ajuda na cicatrização de feridas e fortifica as paredes dos capilares sanguíneos. Por ser antisséptico, é usado para tratar infecções respiratórias. A capacidade de extrair e dissolver ajuda no tratamento de furúnculos e abscessos. Estimula o fígado e pode ser usado como desintoxicante quando ingerido com água. Importante também na produção de colágeno, proporcionando rigidez à pele.

Maçã: contém vitaminas B1, B2 e niacina, além de minerais como ferro e fósforo. É rica em pectina, que se liga a toxinas e ao colesterol, expelindo-os do organismo; e em ácido málico, que ajuda o corpo a gastar energia de forma eficiente. A fruta contém quercetina, antiinflamatório que diminui o risco de problemas cardiovasculares. Estimula o fígado e os rins.

Mamão: a fruta é rica em propriedades terapêuticas e possui benefícios à saúde devido à enzima papaína, encontrada em maior quantidade no fruto verde. Tem um importante papel no bom funcionamento do aparelho digestivo e está associada como um acelerador do processo de cicatrização, muito utilizado em tratamentos de úlceras. É excelente fonte de vários sais minerais como cálcio, ferro, sódio, potássio e fósforo, que auxiliam na construção dos músculos e no crescimento do corpo, no combate à anemia, na formação de ossos e dentes. Contém grandes quantidades de vitaminas A e C e fibras. Age ainda como antiinflamatório e combate várias doenças como a diabete, úlcera péptica e gota, e ainda ajuda na prevenção contra o câncer.

Maracujá: possui alto valor nutritivo. Rica em vitamina C e vitaminas do complexo B (B2 e B5), a fruta contém também quantidades razoáveis de sais minerais como ferro, cálcio e fósforo. Funciona como um calmante suave. As suas sementes são poderosos vermífugos. A vitamina C dá resistência aos vasos sanguíneos, evita a fragilidade dos ossos e má formação dos dentes, age contra infecções e ajuda a cicatrizar os ferimentos. As vitaminas do complexo B têm como função evitar problemas de pele, do aparelho digestivo e do sistema nervoso, além de serem essenciais ao crescimento e evitarem a queda dos cabelos. Cálcio e fósforo são os minerais que participam da formação de ossos e dentes, da constituição muscular e da transmissão normal dos impulsos nervosos. Já o ferro contribui para a boa formação do sangue.

Melancia: contém alto teor de água, o que ajuda na hidratação. Apresenta vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, potássio, fósforo e ferro. Tem propriedades diuréticas e ainda ajuda na produção de células sanguíneas, formação de ossos e atua no metabolismo de carboidratos, auxiliando no emagrecimento.

Nabo: encontrado de março a maio é fonte de fibras com poucas calorias. Apresenta vitamina C, cálcio e potássio. As folhas de nabo, que muitos jogam fora, são mais nutritivas que as raízes. Uma xícara de folhas cozidas fornece 40 mg de vitamina C, aproximadamente 200 mg de cálcio e quase 300 mg de potássio. Além disso, ao contrário das raízes, as folhas são uma excelente fonte de betacaroteno, um antioxidante que o organismo transforma em vitamina A.

Pera: rica em vitaminas A, B1, B2 e C, sódio, potássio, cálcio, fósforo, enxofre, magnésio, silício e ferro, niacina, sódio e fibras. Pode ser utilizada para prisão de ventre, inflamação intestinal e na bexiga, além de auxiliar o sistema nervoso e na formação dos ossos e dentes. Atua também no metabolismo de carboidratos, auxiliando no emagrecimento.

Repolho: fonte de antocianinas, vitamina A e C. Auxilia no emagrecimento, produção de hormônio, cicatrizante, bom para reumatismo, previne câncer, antioxidante, estimula o sistema imunológico. A melhor época para comprá-lo é de março a abril. Trata-se ainda de um alimento pouco calórico e rico em fibras.

Rúcula: tem grande quantidade de vitaminas C (é responsável pela redução do risco de câncer e ataques cardíacos e aumento da resistência a viroses) e vitamina A. Dentre os minerais, podemos destacar o potássio e o ferro, e por isso auxilia na prevenção da anemia. Exerce também uma função especial sobre o funcionamento dos intestinos, atuando como antiinflamatório.

Tangerina: fonte de vitaminas A, B e C, e em menor grau, de sais minerais como cálcio, potássio, sódio, fósforo e ferro. A vitamina C, junto com o cálcio e o fósforo, são essenciais para o desenvolvimento de dentes e ossos, e para a vitalidade dos vasos sanguíneos. A vitamina C também ajuda a combater infecções, a aumentar a resistência do organismo e a absorver o ferro de outros alimentos.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra acessando o site: Saúde.terra.com.br


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.287 outros seguidores

Calendário

março 2012
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 821,914 hits

Top 5


%d blogueiros gostam disto: