Posts Tagged 'Viva Melhor'

Perda Auditiva

 

happy young woman listening

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta que 1,1 bilhão de jovens, em todo mundo, correm risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição ao barulho.

Em países desenvolvidos, estima-se que mais de 43 milhões de pessoas, entre 12 e 35 anos, já sofrem de surdez incapacitante. 50% dessa faixa etária está exposta aos riscos pelo uso excessivo de tocadores de MP3 e smartphones, e 40% pelos níveis de ruído prejudiciais de discotecas e bares.

Seguem algumas recomendações da OMS para proteger a audição:

  • Mantenha o volume baixo: o tocador de mp3 não deve exceder 60% do volume total. Use tampões de ouvido em ambientes barulhentos.
  • Limite o tempo gasto em atividades barulhentas: a exposição prolongada ao ruído é um dos principais motivos da perda de audição. É aconselhável breves descansos auditivos e limitar para 1 hora diária o uso de fones de ouvido.
  • Preste atenção aos níveis seguros de exposição ao ruído. Use a tecnologia dos smartphones para ajudá-lo nisso.
  • Preste atenção aos primeiros sinais de perda de audição.

Procure imediatamente um médico se for difícil:

  • ouvir sons agudos, como campainha, telefone ou despertador;
  • entender a conversa por telefone.

 

Fontes:

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/03/150306_ruido_audicao_lgb

http://www.ambep.org.br/saude-auditiva-e-tema-de-palestra-na-ambep-rio/

Imagem: Freepik

Anúncios

Outubro Rosa 2016

Pixabay mulher rosa woman-1031508_1920.jpg

Há 8 anos realizamos a Campanha Outubro Rosa, falamos sobre novidades que surgem todo ano para dar continuidade ao principal objetivo deste movimento mundial: Conscientizar sobre o Câncer de Mama.

Os números continuam aumentando e, em 2016, são estimados 57.960 novos casos, segundo o Ministério da Saúde e o INCA (Instituto Nacional de Câncer).

Não existe uma razão única. Diversos fatores estão relacionados ao câncer de mama e a maioria das mulheres ainda pode redesenhar seu futuro, apenas melhorando seus hábitos.

Fatores de Risco

1 – Comportamentais / Ambientais: modificáveis

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa
  • Sedentarismo
  • Consumo de bebida alcoólica
  • Exposição frequente a radiações ionizastes (raio X, mamografia e tomografia)

2 – Histórico Hormonal:

  • Menarca antes de 12 anos
  • Não ter tido filhos
  • Primeira gravidez após os 30 anos
  • Não ter amamentado
  • Parar de menstruar após os 55 anos
  • Ter feito uso de contraceptivos orais por tempo prolongado
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de 5 anos

3 – Hereditários/genéticos – História familiar de:

  • Câncer de ovário
  • Câncer de mama em homens
  • Câncer de mama em mulheres, principalmente antes dos 50 anos.

Apenas 5 a 10 % dos casos da doença estão relacionados aos fatores hereditários.

Recentemente, a IARC (Agência Internacional de Pesquisa em Câncer) lançou a publicação IARC Handbook os Breast Cancer Screening que avalia diferentes métodos de rastreamento do câncer de mama. As evidências apresentadas no livro possuem vários pontos em comum com as Diretrizes do INCA / Ministério da Saúde para a Detecção Precoce do Câncer de Mama, publicado em 2015.

Nestas diretrizes, entende-se que:

  • a mamografia em mulheres com idade entre 50 e 69 anos reduz a mortalidade do câncer de mama
  • o rastreamento através do autoexame das mamas não garante a redução da mortalidade

Isto é, tenha sempre um médico de sua confiança e visite-o regularmente. Exames preventivos não devem ser substituídos pelo autoexame.

O Ministério da Saúde e o INCA lançaram uma Cartilha sobre o Câncer de Mama, com conteúdo de fácil entendimento e com informações atualizadas sobre a doença. Quem tiver interesse, vale a pena conferir.

Feliz Outubro Rosa!

Fontes:

http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/livro_deteccao_precoce_final.pdf

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/e03b508046404270b86dfa2d43a04cdb/Cartilha_câncer_de_mama_vamos_falar_sobre_isso2016_web.pdf?MOD=AJPERES&CACHEID=e03b508046404270b86dfa2d43a04cdb

Dia Mundial do Coração: Coração X Sedentarismo

Pixabay mão no coração

Todo dia 29 de setembro é celebrado o Dia Mundial do Coração, desde 2000. Esta data foi criada pela World Heart Federation para alertar as pessoas sobre os problemas das doenças cardíacas e o acidente vascular cerebral, fatores que matam mais de 17 milhões de pessoas todo ano.

Para garantir um coração saudável, profissionais da área recomendam movimentar o corpo e, é claro, contar com acompanhamento médico regular.

Os exercícios físicos fazem com que o coração trabalhe com mais eficiência. O sangue flui melhor e as artérias e vasos ficam mais flexíveis e saudáveis. Tudo isso previne o risco de doenças cardiovasculares, como infarto, colesterol alto, derrame e hipertensão.

Uma pessoa sedentária tem de 80 a 100 batimentos por minuto enquanto uma pessoa condicionada fica entre 60 e 70 batimentos por minuto. Essa melhora na eficiência reduz em 40% o risco de complicações cardiovasculares.

Não são necessários longos períodos na academia. O mais importante é a regularidade com que se exercita para usufruir dos efeitos benéficos a médio e longo prazo.

Algumas atividades físicas e seus benefícios específicos:

Corrida: atividade aeróbica que, após algum tempo de prática, melhora seu condicionamento físico, tornando fáceis alguma tarefas corriqueiras como subir escadas.

Caminha ao ar livre: as passadas reduzem a pressão arterial na primeira hora e essa queda se mantém nas 24 horas seguintes. A caminhada faz com que as válvulas do coração trabalhem mais, melhorando a circulação de hemoglobina e a oxigenação do corpo.

Natação: nadar exerce baixo impacto nas articulações e promove a melhora do processo cardiorrespiratório.

Especialistas em saúde cardiovascular sugerem que a variação de exercícios físicos é mais benéfico à saúde cardiovascular que a manutenção de uma única modalidade, respeitando sempre seus limites e contando com acompanhamento de profissionais.

Informações parciais das fontes:

http://worldheartday.org/world-heart-day-2015/

http://bvsalud.org/portal-lis/2015/09/22/2909-dia-mundial-do-coracao/

http://www.minhavida.com.br/fitness/galerias/13905-aposte-nestes-exercicios-para-a-saude-do-seu-coracao/4

Hepatites Virais: entre as doenças que mais matam

Destaque-Fígado

“The Lancet”, uma das revistas médicas mais conceituadas do mundo, publicou um estudo mostrando que as hepatites virais estão entre as principais causas de óbito e sequelas na saúde das pessoas, matando mais do que a tuberculose, HIV e malária, separadamente. Somente em 2013, as hepatites virais foram responsáveis por 1,45 milhões de mortes no mundo.

Sendo uma infecção que acomete o fígado, a hepatite viral pode ser causada por 5 tipos de vírus com diferentes características, formas de contágio e evolução, nomeados pelas letras: A, B, C, D e E.

Tipos de vírus:

Vírus da Hepatite A (HAV): em geral transmitido por água ou por alimentos contaminados com as fezes de um portador humano. Relacionada às más condições de higiene e de saneamento básico, é a mais conhecida das hepatites. Não há tratamento específico, mas a evolução em geral é boa e a recuperação é completa.

Vírus da Hepatite B (HBV): em geral transmitido por sangue, secreções ou contato sexual. Tem maior propensão a evoluir para uma cirrose hepática ou carcinoma hepatocelular. Não há tratamento específico. Existe vacina, cuja primeira dose é normalmente  administrada na maternidade, nos primeiros dias de vida do bebê. Adolescentes  ou adultos não vacinados também podem receber esta vacina.

Vírus da Hepatite C (HCV): também pode ser transmitido por sangue, secreções ou contato sexual. 80% dos casos evoluem para quadros crônicos. Destes, assim como na hepatite B, uma parcela pode evoluir para cirrose ou para o carcinoma de fígado. Não há vacina específica para o HCV.

Vírus da Hepatite D (HDV): este precisa do vírus tipo B para contaminar alguém. Sua forma de transmissão também é por sangue, secreções ou contato sexual. O HDV pode também cronificar e levar à cirrose e insuficiência hepática ou ao câncer de fígado. Não há vacina, mas como este vírus precisa do vírus B para infectar, estar vacinado contra o HBV é uma excelente forma de proteção.

Vírus da Hepatite E (HEV): possui características semelhantes ao HAV. A transmissão se dá por via fecal-oral, ou seja, é transmitido por água ou por alimentos contaminados com as fezes de um portador humano. Não há indicação de evolução para a forma crônica. Não há vacina específica.

Formas de Prevenção:

  • Estar em dia com as vacinas
  • Higienizar alimentos
  • Lavar as mãos
  • Nunca utilizar ou injetar no próprio corpo qualquer produto sem que esteja esterilizado
  • Usar camisinha nas relações sexuais

Informações parciais da fonte: http://g1.globo.com/bemestar/blog/doutora-ana-responde/post/hepatite-viral-motivo-de-preocupacao-nos-dias-atuais.html

Dor nas costas: principal motivo de afastamentos do trabalho

Pixabay sentada no computer-15812_1920

Quando falamos em acidentes de trabalho, geralmente associamos ao uso indevido de objetos ou falta de segurança. Mas, pasmem, o principal motivo de afastamentos do trabalho, no Brasil, é a dor nas costas, segundo o INSS. Algo que a maioria das pessoas poderia evitar.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), oito em cada dez pessoas vão ter problemas de coluna em algum momento da vida. Principal razão: postura errada.

A musculatura que envolve a região lombar precisa ser trabalhada porque funciona como suporte adicional à sustentação do peso. Caso a musculatura não ofereça este suporte adicional, toda a pressão se concentrará somente na coluna vertebral, pressionando os discos intervertebrais que são as peças de cartilagem no final da coluna, ocasionando as lesões na região.

Recomendações dos especialistas:

  • Faça pausas no trabalho, de hora em hora, para alongar ou realize a ginástica laboral em sua empresa;
  • Ao sentar, a lombar deve se apoiar no encosto da cadeira. Se não for possível, arrume uma almofadinha para apoiar a coluna lombar;
  • A distância correta do computador é de 50 centímetros. Os braços devem assumir uma postura neutra. Não devem se estender nem flexionar demais;
  • Os pés devem estar totalmente apoiados o chão;
  • A postura ideal é: com ângulos retos no quadril, joelho e tornozelo.

 

Informações parciais da fonte:  http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/08/dor-nas-costas-e-o-principal-motivo-de-afastamentos-do-trabalho-no-brasil.html

 

MENINGITE. O que é?

Junto com o frio, o inverno também traz mais casos de viroses. Muitas viroses podem chegar e ir embora sem causar incômodo. No entanto, casos de Zika, Dengue, Chikungunya e, agora, Meningite, tem sido mencionados nas mídias com preocupação, devido aos riscos de sequelas. Assim, mantenha-se informado para saber como agir e continue com seus hábitos saudáveis, na medida do possível, pois isto sempre será de grande ajuda para que seu corpo esteja pronto para combater qualquer doença.

Já falamos da Zika, Dengue e Chikungunya, em posts anteriores. Agora, nosso assunto será a Meningite.

3D medical image showing spine and brain in male figure

Cérebro e Coluna. Imagem: Freepik

O que é Meningite?

A meningite é uma inflamação das membranas (meninges) que envolvem o cérebro e a medula espinhal.

Principais tipos de Meningite

Meningite Viral: mais comum e menos perigosa. Transmissível por meio de alimentos, água, objetos contaminados e ocorrem entre o fim do verão e o começo do outono.

Meningite Bacteriana: menor incidência, comparada à meningite viral. É o tipo mais grave. Ocorre quando bactérias entram na corrente sanguínea e migra até o cérebro.

Meningite Fúngica: menos comum. Seus efeitos podem ser similares aos da meningite bacteriana, por isso inspira cuidados. Não é contagiosa de pessoa para pessoa.

Sintomas de Meningite

Os sintomas mais comuns da meningite são:

  • Febre alta repentina
  • Forte dor de cabeça
  • Pescoço rígido
  • Vômitos
  • Náusea
  • Confusão mental e dificuldade de concentração
  • Convulsões
  • Sonolência
  • Fotossensibilidade
  • Falta de apetite
  • Rachaduras e presença de manchas vermelhas na pele

Na consulta médica, descreva todos os seus sintomas e tire todas as suas dúvidas. É importante que saiba responder algumas perguntas abaixo:

  • Quando os sintomas começaram?
  • Teve contato com alguém que estivesse com meningite?
  • Tomou todas as vacinas indicadas?
  • Faz uso de medicamentos imunossupressor?

Fatores de Risco

  • Idade: a meningite viral costuma afetar crianças de até 5 anos. A forma bacteriana da doença geralmente atinge adultos na casa dos 20. E a meningite causada pela bactéria Listeria monocytogenes costuma vitimizar muitos idosos.
  • Viver em grandes centros urbanos, frequentar ambientes fechados e cheios de pessoas também podem aumentar os riscos de contrair meningite.
  • Gravidez: mulheres grávidas têm maiores chances de contrair listeriose e também a meningite bacteriana causada por Listeria monocytogenes.
  • Sistema imunológico comprometido: pessoas com baixa imunidade correm maiores riscos de apresentar meningite. Exemplo: portadores de Aids ou diabetes e usuários de drogas injetáveis.

Prevenção

A Meningite é geralmente resultado de contágio entre duas pessoas. Vírus e bactérias causadores da doença podem ser transmitidos via tosse, espirro, beijo ou compartilhamento de itens pessoais. Por isso, é importante evitar ficar muito próximo a pessoas portadoras de meningite e tomar os cuidados abaixo:

  • Lave sempre as mãos. Elas são a principal porta de entrada para muitas doenças
  • Não compartilhe itens de uso pessoal com outras pessoas, como copos ou escovas de dente
  • Mantenha um bom sistema imunológico, tendo cuidado com a alimentação, adotando hábitos saudáveis
  • Evite ambientes fechados com aglomeração de pessoas
  • Ao tossir ou espirrar, cubra a boca
  • Esteja em dia com as vacinas

 

Informações parciais das fontes:

Minha Vida: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/meningite

G1: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/07/em-perguntas-e-respostas-saiba-o-que-e-meningite-e-como-se-prevenir.html

Imagem: <a href=’http://www.freepik.com/free-photo/brain-and-spine-design_879669.htm’>Designed by Freepik</a>:

Alimentos que fortalecem a imunidade

Bacterias Pixabay

Mantenha sempre a imunidade em alta para que seu corpo esteja pronto para reagir, principalmente, devido à ocorrência antecipada de gripes e o aumento alarmante de casos da Gripe H1N1, conhecida como Gripe Suína. Informe-se também sobre a campanha de vacinação, em seu estado, que deverá ocorrer ainda este mês.

Ter um estilo de vida saudável associado a uma alimentação balanceada é primordial para o desempenho do sistema imunológico, que atua contra agentes agressores como os vírus e as bactérias, causadores de diversas doenças.

Mesmo as pessoas que têm fatores genéticos que aumentem as chances de determinadas doenças podem também se beneficiar da mudança dos hábitos alimentares. Confira os sete grupos de alimentos que aumentam a imunidade:

Grupo 1

Laranja, limão, goiaba, melão, mamão e morango são fontes alimentares da vitamina C, a qual tem a propriedade antioxidante, ou seja, evita a oxidação das células do sistema imunológico. Isto significa que ao impedir a morte das células do sistema imunológico, permite ao organismo estar mais preparado quando exposto aos agentes agressores.

Grupo 2

Carne bovina, amêndoas e nozes, são alimentos que possuem zinco, que age no funcionamento de diferentes enzimas, as quais atuam na resposta imune aumentando a capacidade das células de defesa no combate às bactérias. É recomendado ingerir o suplemento de zinco, para a redução do quadro de infecção em idosos.

Grupo 3

Alho age melhorando a função das células do sistema imunológico, logo tornando resfriados e gripes menos graves.

Grupo 4

Cogumelos podem estimular a ação dos linfócitos (células do sistema imune) no organismo, de forma a fortalecer o sistema imunológico.

Grupo 5

Iogurte é portador de bactérias, as quais agem sobre mediadores da resposta inflamatória no organismo, assim pode ajudar a combater doenças inflamatórias do intestino.

Grupo 6

Peixes, castanha do Pará, algas e caju possuem as gorduras ômega 3 e ômega 6 que melhoram a resposta imunológica quando associadas a uma alimentação balanceada.

Grupo 7

Cenoura, manga, goiaba, ou vegetais e frutas nas cores amarela, laranja e vermelha ativam o sistema imunológico.

Lembrando que estas dicas não substituem orientações médicas.

Informações parciais da fonte: http://www.blogdasaude.com.br/saude-fisica/2013/09/18/20-alimentos-para-fortalecer-a-imunidade/


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.287 outros seguidores

Calendário

outubro 2017
S T Q Q S S D
« set    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 821,693 hits

Top 5


%d blogueiros gostam disto: