Posts Tagged 'Lactose'

Páscoa pode ser saudável com chocolate

Açúcar, gordura e lactose. É o que vem à cabeça de muitas pessoas quando se fala em chocolate. Mas a nutricionista Lara Natacci, do programa Meu Prato Saudável, parceria do Instituto do Coração (InCor) e do Hospital das Clínicas da FMUSP com a LatinMed Editora em Saúde, faz uma defesa do “alimento proibido”.

f_93081
Segundo ela, se bem escolhido, o chocolate pode trazer benefícios à saúde. A nutricionista lembra que alguns tipos de chocolates são ricos em antioxidantes, substâncias que ajudam a evitar o acúmulo de metais tóxicos no organismo e melhorar a circulação.

Mas antes de sair comendo chocolate durante a Páscoa é preciso conhecer quais são os tipos benéficos e evitar exageros. O chocolate que contém pelo menos 70% de cacau, por exemplo, é mais recomendado do que outros tipos, uma vez que o cacau é a fruta que mais contém as substâncias antioxidantes.

“Uma porção de cerca de 30g, correspondente a uma barra pequena do chocolate com 70% de cacau, tem o conteúdo de substâncias antioxidantes equivalente a uma maçã ou a uma taça de vinho tinto”, afima Lara.

Para demonstrar a diferença entre este tipo de chocolate e os campeões de vendas dos supermercados, a nutricionista elaborou um comparativo entre substâncias com ação antioxidante presentes no chocolate com 70% de cacau, o ao leite, o branco e até mesmo o achocolatado.

Outras substâncias com efeitos benéficos presentes no chocolate, segundo a nutricionista, são as aminas biogênicas (que modulam o humor, melhorando a sensação de bem estar e felicidade), as metilxantinas, cafeína e teobromina (substâncias estimulantes), anadamina (provoca efeito de euforia), magnésio (ajuda a melhorar o ânimo, pois regula as concentrações de dopamina no cérebro), carboidratos (aumentam a formação da serotonina, substância que dá sensação de bem estar) e os lipídeos (aumentam a saciedade).

Os piores tipos a serem consumidos são os ao leite e o branco, pois são ricos em gorduras e açúcar, e os que contêm maior quantidade de gordura trans.

Para os chocólatras que não querem sofrer as consequências negativas na balança, a dica é não exagerar. “O consumo diário deve ser entre 10 e 20g”, explica a nutricionista do Meu Prato Saudável. Ela alerta que esta quantidade pode variar conforme características orgânicas individuais, além de sexo, idade e atividade física.

Diabéticos e intolerantes à lactose

A nutricionista alerta que, mesmo no caso do chocolate diet, sem açúcar, para diabéticos, o consumo deve ser ocasional e em pouca quantidade, uma vez que este tipo de chocolate tem alto teor de gordura.

“O recomendado, no geral, é ingerir no máximo entre 20 e 30 g, três vezes por semana, mas aqui também é necessário avaliar cada caso individualmente, por depender de condições orgânicas individuais, estágio da doença, tratamento, atividade física, sexo e idade”, complementa.

Já para quem tem intolerância à lactose, Lara alerta para que sempre se observe a composição do produto, bem como verificar o grau da intolerância. “Algumas pessoas toleram quantidades pequenas. Os chocolates meio amargos têm pouca lactose, alguns apenas traços da substância. Outros são isentos”, conta.

Outra opção é o chocolate de alfarroba, que tem um sabor semelhante ao meio-amargo, ou o chocolate de soja.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.saude.sp.gov.br

Intolerância à Lactose

O simples prazer de beber um copo de leite gelado ou comer uma fatia de pizza de mussarela pode se tornar um exercício doloroso se você tiver intolerância à lactose. Essa condição muito comum significa que você não consegue digerir completamente o açúcar do leite (lactose) dos laticínios. Normalmente, não é perigoso, mas os sintomas podem ser chatos o suficiente para que fazer com que você queria passar longe da seção de laticínios.

O problema implícito é a falta de lactase – uma enzima produzida pelo duodeno, que quebra a lactose na preparação para absorção pela sua corrente sangüínea. A deficiência de lactase leva a problemas na quebra e absorção do açúcar do sangue. (má absorção de lactose).

Algumas pessoas que acreditam ser intolerantes à lactose na verdade não têm a digestão de lactose prejudicada. E nem todas as pessoas que têm baixos níveis de lactase é intolerante à lactose. Apenas pessoas que tem baixos níveis de lactase e sintomas são consideradas intolerantes à lactose.

Além disso, ter intolerância a um alimento não é o mesmo que ter alergia. A intolerância à lactose não envolve seu sistema imunológico e não necessariamente requer que você evite completamente derivados do leite. Você pode controlar os sintomas através de uma dieta cuidadosamente escolhida que limite a ingestão de lactose sem cortar o cálcio.

Postado por Edson Fabrício
Siga o blog no Twitter: @vivamelhor
Imagem: reprodução


Twitter @vivamelhor

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se aos outros seguidores de 2.164

Calendário

setembro 2020
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 999.327 hits

%d blogueiros gostam disto: