Saiba como ocorre a infecção por superbactéria e como preveni-la

A suspensão de internações em duas UTIs neonatais de Porto Alegre nas últimas semanas voltou a chamar a atenção para o problema da presença de superbactérias em hospitais. Mas, como esses micro-organismos entram nesses ambientes e como é possível evitá-los?

CRE-bacteria
No Hospital Fêmina, foram quatro casos de infecção causados pela bactéria . No Hospital da Criança Conceição, foram identificadas colônias de diferentes bactérias — entre elas, um outro tipo da Klebsiella.

O que leva a contaminações nesse tipo de ambiente hospitalar não é exatamente o fato de pacientes ou familiares carregarem esse tipo de micro-organismo. Especialistas apontam que a própria equipe médica, por ter contato com grande número de pessoas e materiais hospitalares, pode acabar proliferando bactérias.

Eliézer Silva, diretor do Hospital de Ensino do Hospital Albert Einstein, instituição de São Paulo referência no país em baixo índice de infecção, explica que, além dos procedimentos padrões que evitam a transmissão de micro-organismos — como higienização das mãos a cada troca de luvas, por exemplo —, hospitais devem estabelecer e dar importância também a ações com foco em eventos adversos, que vão desde sangramentos até medicações em doses erradas.

De acordo com o diretor, o check-list adotado por uma equipe multidisciplinar oferece mais segurança e conforto ao paciente desde o momento da baixa até a alta do hospital. Essa lista de afazeres, se checada diariamente, permite que todos os profissionais que acompanham o tratamento possam manter um nível de comunicação que facilite a assistência ao paciente.

— Esses processos reduziram as taxas de infecções, de erros no tratamento e nos diagnósticos. Medidas como essas também reduzem custos hospitalares, porque os eventos adversos, como as infecções, envolvem mais custos para o tratamento dos pacientes — esclarece Silva.

Entre os pontos que contribuem para a disseminação de bactérias também está a lotação dos hospitais. Conforme o coordenador do Serviço de Infecção do Fêmina, Vicente Antonello, é imprescindível que os profissionais e as intituições obedeçam a protocolos rígidos de controle.

— É fundamental fazer o controle do uso correto de antimicrobianos, para evitar o risco de aparecimento de bactérias resistentes — explica Antonello.

Quando um paciente é identificado com determinada bactéria, por exemplo, a recomendação é deixá-lo sob precaução, mantendo-o afastado de outras pessoas não infectadas, sempre reforçando as medidas como lavagem de mãos.

O que é

A superbactéria é um micro-organismo que, por mutação genética devido à exposição a antibióticos, tornam-se mais resistentes aos medicamentos.

17389402

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://zh.clicrbs.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Anúncios

0 Responses to “Saiba como ocorre a infecção por superbactéria e como preveni-la”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.287 outros seguidores

Calendário

maio 2015
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 792,205 hits

Top 5


%d blogueiros gostam disto: