Posts Tagged '4 Pilares da Saúde'

‘Dieta depende mais do ambiente que do indivíduo’, diz psicólogo

O psicólogo e doutor em biologia Paul Rozin, 78, professor na Universidade da Pensilvânia (EUA), dedicou 25 anos da sua carreira a estudar por que escolhemos determinados alimentos e por que comemos de certa maneira.

dieta-dos-pontos

Rozin é um pioneiro da nutrição comportamental, especialidade que cresce na esteira das dificuldades do combate à obesidade no mundo.

A disciplina, além de buscar entender as escolhas alimentares humanas, parte de uma perspectiva realista da nutrição –de que é preciso, por exemplo, aceitar o peso quando este não representa problemas à saúde e promover mudanças no ambiente em vez de confiar demais na força de vontade individual.
Rozin esteve no Brasil neste mês para o 1º Workshop de Nutrição Comportamental e conversou com a Folha.

Ele diz que é preciso fugir do pensamento binário segundo o qual certo alimento “faz bem ou faz mal” para introduzir um conceito importante para a saúde e o emagrecimento: moderação.

Folha – Do que trata a nutrição comportamental?
Paul Rozin – A nutrição comportamental está aí para falar que não é preciso mudar tudo. Sugere mudanças simples: é mais fácil andar mais do que ir à academia, e comer devagar e menos do que deixar de comer.
Um exemplo de aplicação é o seguinte: não adianta falar que a pessoa tem que parar de comer quando “sentir que está satisfeita”, sendo que há outros aspectos envolvidos, como o fato de sempre ter comida gostosa na frente dela. O mais eficaz seria orientar para colocar uma porção menor na mesa ou comprar embalagens menores no supermercado.

Essas pequenas mudanças no cotidiano não são muito limitadas para quem precisa perder muito peso?
Claro que algumas pessoas vão precisar de um programa mais detalhado e, para obesidade mórbida, há a cirurgia bariátrica, quando os benefícios se sobrepõem aos riscos.
Mas há um limite para as mudanças do corpo. Gosto de dizer que é preciso pensar o peso como tão difícil de mudar como a altura. E não se preocupar tanto. Preocupação faz mal à saúde. Dietas preocupam.

Acredita que a nutrição tem colocado muita responsabilidade sobre os indivíduos?
É mais fácil mudar o ambiente que as pessoas. Investir em transporte público, por exemplo, leva as pessoas a andarem mais. Tentamos mudar os indivíduos por muito tempo e falhamos.

Como se pode ter uma educação para a nutrição?
Precisamos entender que uma mesma substância pode apresentar riscos e benefícios. Hoje, o pensamento é binário enquanto os fenômenos são complexos. A ciência não é necessariamente boa ou má, mas precisamos entender como ela funciona para enxergar suas possíveis falhas. A mídia divulga algo sobre determinado alimento, e as pessoas já querem retirá-lo da dieta.

Quais seriam essas falhas?
Não se trata de uma falha propriamente dita, mas de entender, por exemplo, que o antibiótico pode ser bom para muitas aplicações, mas tem um risco em potencial, que é o de resistência.
Ou que as informações de que é preciso eliminar o glúten se destinam àquela parcela de 1% da população que têm reação imune à proteína.

A noção de que as coisas podem ser boas e más ao mesmo tempo não imobiliza? Na prática, não temos que saber o que comer e o que não comer?
Um conceito importante que precisa ser introduzido de fato na alimentação é o de moderação, mas ele parece ter sido esquecido na modernidade. Também está na natureza do ser humano querer fazer do mundo um lugar mais simples. As pessoas não gostam da ideia de que algo que é muito bom possa ter problemas. Então, transformam o que tem problema numa coisa necessariamente ruim. E algo que tem algum benefício para um grupo específico em algo totalmente bom para elas.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.folha.uol.com.br

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Anúncios

Saiba quais Alimentos ajudam a Rejuvenescer

Cremes anti-idade, botox, cirurgia plástica… Para quem quer parecer mais jovem e bonito, o mercado está cheio de opções. Mais simples, barata e eficiente, outra forma de levantar o visual é investir em alimentos rejuvenescedores. O segredo é começar — desde esta quinta-feira, no Dia Mundial da Alimentação — a apostar em antioxidantes capazes de combater radicais livres que destroem, sobretudo, o colágeno e a elastina, responsáveis pela boa aparência da pele e dos cabelos.

Foto-Reprodução4

Os radicais livres são gerados naturalmente no organismo a partir de átomos de oxigênio. Segundo a nutricionista Monica Dalmacio, coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário Anhanguera de Niterói, quanto mais uma pessoa ingere moléculas de glicose (açúcar) e gordura, que contêm muitos átomos de oxigênio, mais ela produz radicais livres.

— Quem praticamente não come frutas, verduras e legumes não consegue neutralizar esses radicais — diz.

Para obter o efeito rejuvenescedor dos alimentos antioxidantes, é preciso ingeri-los diariamente, salienta a especialista.

cardapio

Efeito de pílulas é inferior ao dos alimentos

A Organização Mundial da Saúde recomenda o consumo diário de, pelo menos, 400 gramas de vegetais (cerca de cinco porções). Mas quem quer parecer mais jovem também precisa reduzir a ingestão de doces e frituras, para frear a produção de radicais livres. Por dia, o ideal é limitar-se a comer 50 gramas de açúcar e dois gramas de gorduras trans, o que equivale a apenas um biscoito recheado ou três unidades de batata chips.

De acordo com Monica Dalmacio, o efeito de pílulas que prometem o rejuvenescimento é inferior ao dos alimentos antioxidantes, e o uso desses produtos pode até fazer mal à saúde. Além disso, recorrer ao colágeno hidrolisado para deixar a pele firme não traz benefícios, pois a produção da proteína pelo corpo não depende de suplementos.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://extra.globo.com/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Dia Mundial da Alimentação 2014 discute alta de preços

“Preço dos alimentos – da crise à estabilidade“. Este é o tema escolhido pela ONU para o Dia Mundial da Alimentação, que acontece todos os anos em 16 de outubro. O tema levanta uma boa discussão, uma vez que a alta dos preços de alimentos representa uma séria ameaça para a segurança alimentar e nutricional dos países em desenvolvimento.
hipermercados
No Brasil, as atividades que marcam a data já começaram e vão até 17 de outubro, consolidando a Semana Mundial da Alimentação. No dia 17 de outubro, a TV NBr transmitirá uma teleconferência sobre o Dia Mundial da Alimentação, com foco na 4ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. A teleconferência terá participação da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea).
No Brasil e na América Latina
Os preços dos alimentos na América Latina e Caribe reduziram sua taxa de crescimento pelo terceiro mês consecutivo, de acordo com o Relatório Mensal de Preços dos Alimentos da Organização da ONU para a Alimentação e Agricultura (FAO). A inflação dos alimentos na região subiu somente 0,5% em junho, caindo 1% em relação a maio e 1,2% em relação a abril.
A menor taxa de inflação dos alimentos na região em junho responde em grande parte aos movimentos dos preços dos alimentos no Brasil e no México, cujas inflações alimentares apresentaram uma importante redução de 0,6% para -0,1% e 0,6% para 0,1% entre os meses de maio e junho, respectivamente. No último mês, entretanto, no Brasil teve leve alta novamente.
Também houve redução nas taxas de inflação em junho na Colômbia e Paraguai atingindo -0,2% e -0,8%, respectivamente. O Equador, pelo segundo mês consecutivo, também teve taxas reduzidas, chegando a -0,4%. Também registraram reduções em seus níveis de inflação alimentar, Chile, Peru, Colômbia, Paraguai, Costa Rica, Honduras e República Dominicana.
A Bolívia registrou a maior alta da região de 0,7% para 3%, seguido da Nicarágua que subiu de 2% para 2,9% em relação aos meses de maio e junho, respectivamente. El Salvador, Guatemala, Haiti e Panamá também registraram altas na inflação dos preços dos alimentos no mês de junho.
Especialistas acreditam que é hora de reavaliar a política agrícola, que prioriza as exportações do agronegócio em vez do abastecimento interno. “Precisamos pensar melhor em como atender a demanda interna e externa para resguardar a estabilidade de preços nos produtos alimentares”, disse em entrevista à página do MST Guilherme Delgado, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Temos este mês uma boa oportunidade para debater o assunto.
Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.asbran.org.br/

Saiba como escolher os Alimentos de forma Inteligente

Fazer substituições inteligentes nas refeições é fácil e impacta diretamente em sua qualidade de vida; aproveite a data para começar;

O Dia Mundial da Alimentação é celebrado no dia 16 de outubro em mais de 150 países com o objetivo principal de conscientizar e alertar as pessoas sobre questões da nutrição e alimentação saudável para uma melhor qualidade de vida. O cuidado com todas as refeições é fundamental e deve ser diário por meio de escolhas e substituições inteligentes.

topo

A nutricionista Gisele Pavin, formada pela USP e especialista em Nutrição Clínica, explica que, com tantas opções de produtos e alimentos no mercado, as trocas inteligentes podem ser mais fáceis do que imaginamos. “Muitas vezes pensamos que a substituição de alimentos deve ser algo radical, quando, na verdade, pode começar com mudanças simples e rápidas nas refeições diárias, que passam a ser mais saudáveis e nutritivas”.

Quando pensamos em uma alimentação equilibrada e um corpo saudável, não podemos deixar de lado as proteínas, que participam de todas as estruturas do corpo, além de contribuírem para a formação dos músculos e muitas funções do sistema nervoso e de defesa.

A soja, por exemplo, é o único alimento de origem vegetal que contém proteína de alto valor biológico e que ainda fornece fibras. Assim, pode ser facilmente incorporada à alimentação equilibrada de diferentes formas, como grãos cozidos, em saladas ou refogados, e em preparações que utilizam a proteína texturizada, como hambúrguer de soja, legumes recheados, estrogonofe e lasanha, em substituição a outros alimentos fontes de proteínas que contém quantidades maiores de gorduras saturadas (gorduras ruins) e não agregam tantos benefícios. Outra opção prática e nutritiva para o consumo da leguminosa são as bebidas à base de soja, que além da proteína da soja, também oferecem vitaminas e minerais importantes, que podem substituir os sucos e néctares, que apresentam teor mais alto de açúcar.

Há um incansável debate a respeito do consumo de grãos e alimentos ricos em carboidratos. A dica é escolher aqueles que são mais nutritivos, como os cereais integrais. Eles são ricos em vitaminas, minerais, fotoquímicos e fibras. As fibras correspondem à parte de difícil digestão nos alimentos, o que proporciona maior saciedade além de não causar picos de glicose (açúcar) na corrente sanguínea. “Desta forma, a recomendação é trocar, por exemplo, o pão francês, o arroz branco ou o macarrão pelas suas versões mais integrais, que são mais nutritivas”, diz Gisele Pavin.

Durante os lanches intermediários, a atenção à qualidade dos alimentos consumidos deve continuar. É possível trocar os lanches rápidos e gordurosos como coxinha, kibe e empada por opções que farão bem à saúde como castanhas, nozes, pistache, frutas secas e amêndoas. Além de serem práticos, também protegem a saúde do coração.

Outra substituição interessante é a utilização da maionese industrializada no lugar de creme de leite ou cream cheese, por exemplo. “Na hora da compra é importante comparar o rótulo dos produtos e escolher a opção com menos colesterol e calorias, além de checar se é livre de gorduras trans e se possui boa quantidade de gorduras poli-insaturadas, que auxiliam na redução do risco de desenvolver doenças cardiovasculares.”, acrescenta Gisele Pavin.

Em comparação com outros produtos, como creme de leite e requeijão, a maionese é uma boa opção para as preparações, pois contêm aproximadamente 2,5 vezes menos gorduras saturadas que a mesma porção de creme de leite, 77% menos sódio que a mesma quantidade de parmesão e aproximadamente 2% da quantidade total de colesterol de um ovo (45g). “A substituição do creme de leite por maionese diminui em 58% a quantidade de gorduras saturadas, aumenta em 38 vezes a quantidade de gorduras poli-insaturadas, além de dispensar a adição de sal, uma vez que a maionese já cumpre esse papel de agregar sabor às preparações”, conclui Gisele Pavin. O importante é ser consciente sobre a qualidade e quantidade de alimentos que consumimos para que sejam escolhidos os que apresentam melhores benefícios nutricionais ao nosso corpo e ainda tragam prazer à nossa alimentação.

Não podemos deixar de mencionar os alimentos funcionais, que podem trazer benefícios adicionais à saúde, como os fitoesteróis, que ajudam na redução do LDL Colesterol (colesterol ruim). Recomendado como parte de uma dieta saudável, os esteróis vegetais têm estruturas e funções semelhantes às do colesterol e, por isso, quando consumidos, ocupam o lugar do colesterol nas micelas (responsáveis pelo transporte das gorduras até as células do intestino), diminuindo sua absorção, e posteriormente, sendo eliminado pelas fezes. Os fitoesteróis estão presentes em alimentos de origem vegetal, como verduras e legumes, mas são mais abundantes em óleos, grão de bico, sementes, oleaginosas. No entanto, para atingir a quantidade recomendada diária de 1,6g de fitoesterol, seria necessário a ingestão de 340 tomates, 168 cenouras, 120 maçãs ou de 56 fatias de pão integral. Uma alternativa para garantir a porção recomendada de esteróis vegetais por dia são os alimentos enriquecidos com a substância, como cremes vegetais, apenas duas porções de Becel Pro-Activ por dia, por exemplo, já atinge a recomendação diária de 1,6g de ingestão desta substância, quantidade associada à redução de 15% dos níveis de LDL-colesterol em apenas 3 semanas associada a alimentação e estilo de vida equilibrados.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.maxpressnet.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br


Twitter @vivamelhor

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.198 outros seguidores

Calendário

setembro 2019
S T Q Q S S D
« ago    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 973.855 hits
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: