Posts Tagged 'Doar Sangue'

Dia Mundial do Doador de Sangue: apenas 1,7% da população brasileira é doadora

30 minutos é o tempo médio que uma pessoa gasta para doar 450 ml de sangue e ajudar a salvar a vida de outras três – entre vítimas de acidentes, mães com complicações durante o parto ou a gravidez, crianças anêmicas e pacientes com câncer.

doar-sangue

Doar sangue não dói, é rápido, não afeta a saúde e faz uma grande diferença aos pacientes que necessitam de transfusão – no Brasil, a cada dois minutos uma pessoa precisa de sangue. Ainda assim, uma das maiores dificuldades da área da saúde é encontrar pessoas dispostas a doar sangue para suprir a demanda diária dos hospitais pelo tecido.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), anualmente, são coletadas 107 milhões de bolsas de sangue – sendo que cerca de 50% dessas doações acontecem em países de alta renda, onde vive apenas 15% da população mundial. O número é vergonhoso, se levarmos em conta que o mundo possui bilhões de habitantes e que cada pessoa maior de 18 anos poderia doar sangue, no mínimo, uma vez por ano.

Brasil tem grande contribuição nessa situação: por aqui, apenas 1,7% da população é doadora, de acordo com o Ministério da Saúde (MS). Para a OMS, o recomendável é que, pelo menos, 5% dos habitantes de um país doem sangue. Ou seja, estamos bem mal na fita.

Para reverter essa situação, o melhor caminho, de acordo com a ONU, é investir em educação e infraestrutura e transformar a doação de sangue em uma questão prioritária das políticas nacionais de saúde.

Dia do Doador de Sangue é comemorado mundialmente em 14/06, há 10 anos.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://super.abril.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Esclarecendo Dúvidas sobre a Doação de Sangue

Tire suas dúvidas sobre doação de sangue conferindo as respostas e perguntas mais frequentes sobre o assunto.

doar-sangue-20130614093521

1. Qual é a quantidade de sangue coletada em cada doação?

Em cada doação, são coletados aproximadamente 450 ml de sangue.

2. A quantidade de sangue coletada a cada doação vai afetar minha saúde?

Não, porque na doação de sangue se retira menos do que 10% do volume sanguíneo total de um adulto, por esse motivo só é permitida a doação por pessoas acima de 50 kg.

3. Quanto tempo demora para que meu organismo reponha a quantidade de sangue coletada na doação?

O plasma é reposto em algumas horas, as plaquetas se restabelecem em alguns dias, e as hemácias demoram alguns meses. Por esse motivo, a doação de sangue só deve ser realizada a cada 90 dias para os homens e 120 dias para as mulheres.

4. Por que os homens podem doar sangue a cada 03 meses e as mulheres a cada 04 meses?

Devido à reposição dos estoques de ferro, que nas mulheres é mais demorada em virtude das perdas durante os ciclos menstruais.

5. O que é doação de plaquetas por aférese?

É uma doação seletiva, onde um pequeno volume de plasma e prioritariamente as plaquetas são retiradas do doador através de uma máquina (separador celular). Esse procedimento pode ser realizado com intervalos de 48h. Não há prejuízo na doação de plaquetas sistemática, sendo possível ser realizado 2 vezes por semana, 4 vezes ao mês e até 24 vezes ao ano, isso devido a perda plasmática durante a doação.

6. O Material usado na doação de plaquetas é mesmo seguro?

Sim, todo o material usado, inclusive os kits são estéreis, descartáveis e apirogênicos (não causam febre).

7. Existe alguma forma de remuneração para o Doador de Sangue?

Não. A doação de sangue é um ato solidário e voluntário que depende exclusivamente da iniciativa de cada cidadão, e o retorno é o entendimento de que só nós somos a única fonte desse produto.

8. É seguro doar sangue?

Sim, todo o material usado, inclusive os kits são estéreis, descartáveis e apirogênicos (não causam febre). Além disso, o doador passa por uma consulta, antes de doar, onde são avaliadas suas condições clínicas.

9. É necessário estar em jejum para doar?

Não. É importante que o doador se alimente normalmente, evitando ingerir alimentos gordurosos no dia da doação. Após o almoço, é necessário esperar cerca de uma hora e meia para efetuar a doação de sangue.

10. Corro algum risco de contaminação doando sangue?

Não. Todo o material utilizado é estéril, de uso único e descartável.

11. Posso apresentar alguma reação doando sangue?

Raramente acontece e, na maioria das vezes, está relacionada com a ansiedade. As reações mais frequentes são queda de pressão, sensação de desmaio, náuseas e hematomas no local da punção. Mais raramente os doadores podem apresentar vômitos e convulsões. Caso haja alguma reação, no local da coleta de sangue há sempre uma equipe preparada para atender a qualquer intercorrência.

12. Durante o período menstrual, a mulher pode doar sangue?

Sim, não há nenhum risco para a saúde da mulher na doação de sangue. [Ver critérios para Doação]

13. Por que há garantia de liberação do trabalho no dia da doação?

Porque 01 (um dia) é suficiente para o doador descansar e recuperar o volume sanguíneo doado sendo particularmente importante para aqueles que exercem profissões que exijam esforço físico ou que possam comprometer a sua segurança pessoal ou de outras pessoas. (ex: motorista).

14. É realizado algum exame no sangue doado?

Sim. Tipagem sanguínea, sorologia e NAT (teste do ácido nucleico) para hepatite C e HIV (vírus da Aids), sorologia para hepatite B, doença de Chagas, sífilis, e HTLV. [Ver etapas da Doação]

15. Eu sou comunicado se algum exame der alterado?

Sim. Se algum exame der alterado, é enviada correspondência para a residência do doador solicitando o seu comparecimento para receber orientação médica e coletar nova amostra de sangue. É importante que o doador não deixe de vir ao Hemope para que possam ser esclarecidas as dúvidas. Resultados reagentes nos testes sorológicos de triagem podem ocorrer por vários motivos, não significando, necessariamente, que exista alguma doença.

16. É possível doar sangue fazendo uso de medicamentos?

Depende do tipo da medicação. No dia da doação, durante a entrevista, é realizada essa avaliação. [Ver etapas da Doação]

17. Quais os cuidados que devo ter após a doação?

O doador deve alimentar-se bem, ingerir bastante líquido e evitar bebidas alcoólicas, bem como, fumar nas primeiras duas horas e esforço físico no dia da doação. Em caso do aparecimento de queixas nos primeiros 15 dias após a doação, o doador deve retornar ao hemocentro e informar as queixas para esclarecimentos.

18. O que é feito com o sangue doado?

O sangue é separado em hemocomponentes, como concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas e plasma fresco. Após a realização dos testes laboratoriais, esses hemocomponentes são enviados aos hospitais para serem usados em pacientes que estão com sangramentos, em tratamento quimioterápico, para cirurgias, transplantes etc. O plasma excedente (que não foi utilizado nos pacientes) também poderá ser encaminhado à indústria de Hemoderivados – HEMOBRÁS, para produção de medicamentos que serão utilizados por pacientes portadores de doenças hemorrágicas.

19. Os exames realizados na doação se prestam para diagnóstico de possíveis doenças?

As características dos testes sorológicos são adequadas para a triagem laboratorial antes da liberação da bolsa de sangue para transfusão, não sendo indicados para o diagnóstico de doenças.

20. Se eu estiver em dúvida sobre a possibilidade de contaminação por algum vírus transmitido através da doação, devo doar sangue?

De forma nenhuma. O candidato com intenção de realizar os testes sorológicos não deve doar; primeiro porque os testes realizados não se prestam para diagnóstico e segundo porque existe a possibilidade de ele se encontrar em “janela imunológica”.

21. O que é “janela imunológica”?

Janela imunológica corresponde ao período em que o organismo já está infectado, mas ainda não produz anticorpos suficientes para serem detectados nos testes da triagem sorológica. O tempo varia de doença para doença e, com o aperfeiçoamento dos testes e o desenvolvimento de outros, será possível a detecção cada vez mais precoce da infecção. Mas, por enquanto, é na entrevista de triagem clínica que se pode levantar informações sobre situações de risco para janela imunológica. Daí, a importância da sinceridade do doador ao responder as perguntas feitas na triagem.

22. Por que quem recebeu transfusão só pode doar sangue um ano depois?

Porque quem recebeu transfusão de sangue há menos de um ano pode estar no período denominado “janela imunológica”, no qual as infecções nem sempre são detectadas nos exames. O prazo de 12 meses para a doação de sangue inclui uma margem de segurança, que considera a variação do período de janela imunológica das diversas doenças transmissíveis pelo sangue.

23. A Fundação Hemope realiza exames rotineiros de sangue ou para verificação de doenças sexualmente transmissíveis (DST)?

Não. A Fundação Hemope, além de receber doações de sangue, atende apenas pacientes portadores de doenças hematológicas.

24. Por que são feitas tantas perguntas a respeito da vida sexual (comportamento sexual) do candidato à doação?

Porque várias doenças transmitidas por relações sexuais são também transmitidas pela transfusão de sangue. Algumas delas podem também demorar a ser identificadas nos exames de sangue. Por isto, o triagista avalia se a pessoa esteve exposta a alguma situação com um risco maior que o habitual para adquirir doenças sexualmente transmissíveis (DST); uma vez que todas as pessoas sexualmente ativas são consideradas sob risco de adquirir uma DST. Não poder doar por uma determinada situação, não significa que a pessoa apresente comportamento de risco, que seja de grupo de risco ou promíscua. Significa apenas que ela deve aguardar um prazo de segurança para que, se tiver adquirido alguma doença, o exame consiga detectá-la, protegendo o receptor do sangue.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://www.hemope.pe.gov.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

O processo da doação de sangue

Os pacientes que necessitam de transfusão podem contar somente com a solidariedade de pessoas, que têm o privilégio de ser saudáveis e que se dispõem a DOAR O SEU SANGUE, através de um ato de amor ao próximo.

Em muitos casos, a transfusão de sangue é a única esperança de vida.

img_sexo-casual-impede-doacao-de-sangue

Importante

  • A doação é um procedimento totalmente seguro.
  • O volume coletado é de aproximadamente 450 ml (padrão internacional), o que representa menos de 13% do total de sangue do corpo de um adulto.
  • O doador não se expõe a nenhum risco de contaminação.
  • A doação de sangue não engorda e nem emagrece, não afina e nem engrossa o sangue.
  • Não é necessário jejum, porém após o almoço pede-se um intervalo de 3 horas para iniciar a doação.
  • Não exige mais doações.

Doar sangue é um ato humanitário que enobrece e traz uma satisfação interior muito grande. Afinal, por meio desse ato, você ajuda a salvar vidas.

O processo de doação de sangue

O sangue, ou seu componente, transfundido num paciente, deve ser coletado de indivíduos saudáveis, preparado e estocado de forma adequada.

O processo para doação de sangue inicia-se com o cadastro dos dados de identificação do doador e a apresentação de um documento de identidade com fotografia.

Após o almoço pede-se um intervalo de 3 horas para iniciar a doação.

A seguir, o doador é submetido a uma entrevista, na qual seu histórico médico, seus hábitos e suas condições de saúde são verificados e anotados num questionário, com o objetivo de certificar-se de que a doação não será prejudicial ao doador e nem ao receptor. A entrevista é realizada individualmente, por profissional capacitado, não sendo permitida a presença de acompanhantes.

Obs.: os critérios utilizados para seleção do doador são determinados pela legislação nacional (Portaria 1353 do Ministério da Saúde) e por órgãos internacionais (Associação Americana de Bancos de Sangue).

Ao término da entrevista, verificam-se a pressão arterial, a pulsação e a temperatura. Além disso, uma pequena punção digital (que é um pequeno furo na ponta do dedo) é feita a fim de obter uma gotícula de sangue para determinação rápida da hemoglobina (teste de anemia).

A coleta é realizada numa cadeira na posição semi-sentada. Uma veia de um dos braços é puncionada e um volume de 400ml a 450ml é coletado numa bolsa plástica, que contém solução anticoagulante e preservante. Cerca de 40ml de sangue são coletados para execução dos testes laboratoriais para doenças infecciosas transmissíveis por transfusão e tipagem sanguínea.

Finalizada a coleta, o doador é encaminhado à sala do lanche para alimentar-se e ingerir líquido. O tempo de permanência total no banco de sangue é de, em média, 40 minutos.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://www.einstein.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Banco de Sangue

A doação de sangue é um ato voluntário e altruísta que SALVA VIDAS.

doar-sangue1

Doar sangue é seguro e quem doa uma vez, não é obrigado a doar sempre. No entanto, é muito importante que pessoas saudáveis doem regularmente. Se você quer ser um doador voluntário de sangue, leia abaixo algumas orientações antes de decidir pela sua doação

Uma informação importante é que a doação não é um meio para se testar para AIDS ou outro agente infeccioso, pois há um período entre a infecção e a sua identificação pelos exames laboratoriais, chamado de Janela Imunológica, que pode variar de semanas a meses dependendo do tipo de agente infeccioso. Durante o período de janela imunológica os testes laboratoriais revelam-se negativos e o agente infeccioso pode ser transmitido através da transfusão de sangue.
Portanto, se você estiver em dúvida se pode ou não doar sangue, leia mais os textos a seguir ou ligue para número (11) 5576.4240 – Opção 1. Da sinceridade e consciência do doador pode depender a saúde de quem receberá a transfusão de sangue.

Você pode participar doando sangue e/ou divulgando a importância da doação de sangue.

Como doar

Há 03 principais tipos de doação: de sangue total, por aférese e doação autóloga.
Doação de Sangue Total: é a doação habitual, onde até 450 ml de sangue são coletados em uma bolsa produzida com materiais e soluções que permitem a preservação do sangue. Os homens podem doar de 2 em 2 meses, até 4 vezes ao ano e as mulheres podem doar de 3 em 3 meses até 3 vezes ao ano.

COMO É FEITA UMA DOAÇÃO DE SANGUE TOTAL?

1.  Cadastro: O doador, portando um documento oficial com foto, é cadastrado e recebe um questionário para ser respondido. Esse questionário tem o objetivo de avaliar se há alguma situação ou doença que impeça a doação de sangue, portanto as respostas devem ser sinceras e qualquer dúvida deve ser esclarecida na próxima etapa – a triagem clínica.
2.  Triagem clínica: O doador é entrevistado e examinado por profissional de saúde , em local que garanta a privacidade e o sigilo das informações. Esse profissional verifica as respostas do questionário e avalia pessoas com alto risco de transmitir doenças pelo sangue. O doador deve ser consciente de que as suas respostas são muito importantes para garantir a sua integridade física, bem como a de quem vai receber o seu sangue. A segurança do paciente que recebe transfusão começa com o doador.
3.  Coleta de sangue: A coleta de sangue dura no máximo 10 minutos. Todo o material utilizado é estéril e descartável Não há risco de contrair doenças doando sangue.
4.  Lanche: Após a doação o doador recebe um lanche e informações sobre os cuidados básicos que devem ser tomados após a coleta do sangue.

TODAS AS PESSOAS PODEM DOAR SANGUE?

Há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por Normas Técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue

REQUISITOS BÁSICOS PARA DOAR SANGUE

–  Portar documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho certificado de reservista ou carteira do conselho profissional)
–  Estar bem de saúde
–  Ter entre 16 (*) e 68 anos (incompletos) – (*) jovens com 16 e 17 anos podem doar com autorização dos pais e/ou responsáveis legais.  –  Pesar no mínimo 50 Kg.
– Não estar em jejum. Evitar apenas alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação

ALGUMAS SITUAÇÕES QUE IMPEDEM PROVISORIAMENTE A DOAÇÃO DE SANGUE:

–  Febre – acima de 37°C
–  Gripe ou resfriado
–  Gravidez atual (90 dias após o parto normal e de 180 dias após a cesariana)
–  Amamentação (até 1 ano após o parto)
–  Uso de alguns medicamentos
–  Anemia
–  Cirurgias
–  Extração dentária 72 horas
–  Tatuagem: 01 ano sem doar
–  Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina
–  Transfusão de sangue: impedimento por 01 ano

Maiores esclarecimentos serão fornecidos durante a entrevista clínica que precede a doação.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://www.hospitalsaopaulo.org.br

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Doação de Sangue: Requisitos

Mensagem-Doação-de-Sangue-Novembro-Azul-2013

Requisitos básicos para Doação de Sangue

Na triagem de doadores, a Fundação Pró-Sangue obedece a normas nacionais e internacionais, como as do Ministério da Saúde, Associação Americana e Conselho Europeu de Bancos de Sangue. O alto rigor no cumprimento dessas normas visa oferecer segurança e proteção ao receptor e ao doador.

41.2-O-Riobranquense1

Abaixo estão listados os requisitos básicos e alguns dos principais impedimentos temporários e definitivos para doação de sangue. No entanto, esta lista não esgota os motivos de impedimentos para doação, de forma que outras informações prestadas por você durante a triagem clínica serão consideradas para definir se está apto para doar sangue nesse momento.

Requisitos básicos

  • » Estar em boas condições de saúde.
  • » Ter entre 16 e 67 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário de autorização).
  • » Pesar no mínimo 50kg.
  • » Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
  • » Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
  • » Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Impedimentos temporários

  • » Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas.
  • » Gravidez
  • » 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
  • » Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
  • » Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
  • » Tatuagem nos últimos 12 meses.
  • » Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.
  • » Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são estados onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 12 meses.

Impedimentos definitivos

  • » Hepatite após os 11 anos de idade. *
  • » Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.
  • » Uso de drogas ilícitas injetáveis.
  • » Malária.
  • * Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva; Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: Recusa definitiva; Hepatite por Medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente; Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.

Respeitar os intervalos para doação

  • » Homens – 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses).
  • » Mulheres – 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses).

Honestidade também salva vidas. Ao doar sangue, seja sincero na entrevista.* A Pró-Sangue se preocupa com a segurança das crianças. Se alguma delas vier com você no dia da doação, traga um outro adulto para acompanhá-la.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://www.prosangue.sp.gov.br

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Apenas 2 entre 10 doadores de sangue são voluntários

Um levantamento do Banco de Sangue do Hospital A.C.Camargo, em São Paulo, aponta que somente 2 a cada 10 doadores de sangue compatíveis procuram pelo serviço sem ter histórico pessoal com pacientes que necessitam de doação. A preocupação com o baixo estoque de sangue aumenta com a chegada das férias de julho e do inverno, quando o número de voluntários costuma ser ainda menor.

sangue(1)

No Brasil, a realidade não é diferente. De acordo com a Fundação Pró-Sangue, a cada dois minutos, um paciente necessita de transfusão sanguínea no Brasil. Apesar disso, o número de doadores no país não atinge 2% da população. Nesta sexta-feira, é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue.

Para doar, o candidato tem que ter entre 16 e 68 anos – menores de 18 precisam de autorização dos pais ou responsáveis; estar em boas condições de saúde, pesar 50 kg ou mais. Antes da doação, é feita uma triagem clínica, com entrevistas e teste de anemia, medição de peso e identificação. Além disso, o voluntário não pode estar em jejum, mas deve consumir uma refeição leve. Dormir pelo menos seis horas na noite anterior e não ingerir bebida alcóolica nas 12 horas antes.

Doador voluntário

O Banco do Hospital A.C.Camargo opera atualmente com apenas dois terços de sua capacidade total de armazenamento e há falta mais acentuada de alguns tipos sanguíneos, principalmente os de fator Rh negativo. Um levantamento feito pela instituição identificou que o principal fator para o baixo volume de doação está na pequena procura pelos chamados voluntários, pessoas que se candidatam à doação sem ter qualquer vínculo afetivo com algum paciente. “Recebemos uma média de 60 a 70 doadores por dia e, infelizmente, apenas 20% deles são voluntários. Os outros 80% são fruto de ação interna que fazemos junto aos familiares e amigos com a proposta de sensibilizá-los”, destaca a hematologista Rivânia Almeida de Andrade.

Ainda segundo Rivânia, é válido ressaltar que a busca espontânea pelo Banco de Sangue torna-se ainda mais primordial nesta época do ano, pois a sazonalidade é, historicamente, um fator que limita o interesse por fazer a doação. “Não podemos repetir o fato de haver queda do número de doadores durante as férias escolares de julho e chegada do inverno. A solidariedade precisa aquecer a boa vontade de todos”, destaca.

Diagnóstico de doenças

Ao ter o sangue coletado, o voluntário tem seu sangue criteriosamente avaliado por uma equipe especializada. Em até 30 dias, recebe em seu domicílio informações relevantes como a tipagem sanguínea e resultados dos testes de Hepatites B e C, HIV, HTLVI/II, doença de chagas, sífilis, dentre outras. Caso apresente algum resultado positivo, ele pode iniciar imediatamente o tratamento contra a doença em questão. Hepatites B e C, por exemplo, quando não tratadas podem levar a severos quadros de cirrose ou ao câncer de fígado. Para o HIV (vírus da AIDS) há tratamentos que oferecem grande controle da doença e aumentam a expectativa e qualidade de vida do paciente. Os vírus HTLVI/II oferecerem um risco aumento de desenvolvimento de uma doença chamada leucemia-linfoma de células T ou para uma doença neurológica conhecida como paraplegia espástica tropical.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://vivabem.band.uol.com.br


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.189 outros seguidores

Calendário

maio 2020
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 988.831 hits

%d blogueiros gostam disto: