Posts Tagged 'dores musculares'

Febre Amarela: Surto ou Epidemia?

pixabay-mosquito-719613_1920
Segundo o Portal Brasil, o último boletim epidemiológico sobre a febre amarela, em Minas Gerais, contabilizava 184 casos notificados da doença, com 65 óbitos, somente em 2017. A maioria dos casos ocorreu nas primeiras semanas de janeiro.

Para termos uma noção do aumento de casos, em todo o ano de 2016 foram apenas 7 casos confirmados da doença, 5 óbitos, segundo o Ministério da Saúde.

Epidemia ou Surto?
Surto, pois, de acordo com o Ministério da Saúde, o aumento do número de casos da doença acima do normal ocorre em regiões específicas, sem espalhamento. A epidemia se caracteriza quando um surto acontece em diversas regiões.

O que é a febre amarela?

Trata-se de uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos, em áreas urbanas ou silvestres. A doença é comum em macacos que são os principais hospedeiros do vírus.
Em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus e Sabethes.
No meio urbano, a transmissão ocorre através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue, zika vírus e chikungunya).
A infecção ocorre em pessoas picadas por um mosquito infectado que nunca contraíram a febre amarela nem tomaram a vacina contra a doença.
Os macacos podem desenvolver a febre amarela silvestre de forma inaparente mas ter a quantidade de vírus suficiente para infectar mosquitos.

Uma pessoa não transmite a doença diretamente para outra.

Prevenção

– Evitar a disseminação do mosquito Aedes aegytpi: eliminando acúmulo de água parada em recipientes destampados;
– Evitar a picada do mosquito: fazendo uso de repelentes específicos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo;
– Vacinar-se contra a febre amarela, principalmente se for viajar para áreas com indícios da doença. Dirija-se à unidade de saúde mais próxima de sua residência.

Além das doses na primeira infância, o ministério recomenda vacinação imediata para todas as pessoas que vivem em áreas rurais nas regiões com risco da doença e nas cidades que vivem surto de febre amarela. Quem nunca recebeu imunização contra a doença também deve procurar um posto de saúde.

Consulte seu médico e informe-se sobre a vacina, idade adequada e doses necessárias.

Se for preciso viajar para áreas de risco, a recomendação é se imunizar com pelo menos 10 dias de antecedência.

Sinais e sintomas mais comuns da febre amarela
– Febre alta
– Cansaço intenso
– Dor de cabeça
– Dor muscular
– Náuseas e vômitos
– Pode ocorrer icterícia (olhos e peles amarelados)

O período de incubação da febre amarela varia entre 3 e 6 dias, em média, e o vírus permanece no corpo humano por até 7 dias. Os sintomas aparecem até 2 dias após a picada do mosquito contaminado.

 

Informações parciais das fontes:
http://www.brasil.gov.br/saude/2017/01/vacinas-reforcam-protecao-contra-febre-amarela
https://www.bio.fiocruz.br/index.php/febre-amarela-sintomas-transmissao-e-prevencao
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/427-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/febre-amarela/l1-febre-amarela/10771-vacinacao-febre-amarela
https://g1.globo.com/bemestar/febre-amarela
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/01/1854425-saiba-mais-sobre-a-febre-amarela-e-veja-como-se-proteger-da-doenca.shtml

Anúncios

Dicas de Prevenção Contra Gripe H1N1

Vírus da Gripe

Higienização das mãos e vacina são fundamentais, mas cuidados com o sono e a alimentação também pesam na prevenção.

Em 2015, 141 brasileiros foram diagnosticados com o vírus H1N1, mas em 2016, em menos de três meses (até dia 22 de março), o estado de São Paulo sozinho já havia notificado 260 casos da doença. Ano passado, foram contabilizados 36 óbitos, mas somente este ano, 38 paulistas já morreram em função das complicações da doença.

É recomendável que as pessoas gripadas suspendam atividades de rotina como trabalho e estudos, afim de evitar a propagação do vírus em locais com aglomeração.

Praticar exercícios físicos, ter alimentação saudável e o sono regular também são importantes para a prevenção, pois contribuem para o fortalecimento da imunidade.

Médicos da Sociedade Brasileira de Infectologia listam os cinco principais passos para se proteger contra o contágio pelo vírus Influenza H1N1:

1º passo: Não deixe de se vacinar contra o vírus H1N1. A vacina é disponibilizada pelo SUS para os grupos com risco de maior complicação como o dos idosos, crianças de seis meses a 5 anos, gestantes, puérperas (que acabaram de dar à luz), portadores de doenças crônicas, funcionários do sistema prisional e da área da saúde. Para quem não está nos grupos de risco, é possível tomar a vacina na rede particular;

2º passo: Evite o contato com as pessoas com a gripe H1N1. Em ambientes fechados, procure deixar as janelas abertas para que haja circulação do ar;

3º passo: Lave muito bem as mãos com água e sabão (inclusive entre os dedos, nos pulsos e por dentro das unhas) e utilize álcool gel para uma higienização completa. Se não for possível, faça pelo menos um dos dois procedimentos;

4º passo: Se segurar em lugares públicos como maçanetas, corrimãos, apoios do metrô e dos ônibus, evite levar as mãos até os olhos, nariz e boca enquanto não puder fazer nova higienização;

5º passo: Evite estresse, ansiedade, má alimentação, dormir pouco e beber álcool. Isso enfraquece o sistema imunológico e deixa o organismo ainda mais exposto ao vírus.

Informações parciais da fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/noticias/20694-infectologistas-ensinam-os-5-passos-para-prevenir-gripe-h1n1


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.291 outros seguidores

Calendário

outubro 2018
S T Q Q S S D
« out    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 934.239 hits

Top 5

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: