Posts Tagged 'carne vermelha'

Dia Nacional de Combate ao Colesterol

 

Pixabay Alimentação healthy-food-1348464_1920

Todo ano falamos sobre o Colesterol mas nunca é demais lembrar alguns conceitos básicos sobre o tema. Então vamos lá.

O que é o Colesterol?

O colesterol é uma substância gordurosa encontrada em todas as células no nosso corpo. Ele é essencial para a formação das membranas das nossas células, para a síntese de hormônios, como a testosterona, estrogênio, cortisol e outros, para a produção da bile, para digestão de alimentos gordurosos, para formação da mielina (uma bainha que cobre os nervos), para metabolização de algumas vitaminas (A, D, E e K), etc.

O colesterol do nosso organismo tem duas origens:

a) endógena – o colesterol é produzido pelo nosso próprio corpo, principalmente pelo fígado.

b) exógena – o colesterol também pode ser é adquirido através dos alimentos.

Tipos de Colesterol

Como se trata de uma substância gordurosa, o colesterol não se dissolve no sangue. Portanto, para viajar através da corrente sanguínea e alcançar os tecidos periféricos, o colesterol precisa de um transportador. Essa função cabe às lipoproteínas que são produzidas no fígado. As principais são:

VLDL (Very low-density lipoprotein) também conhecida como triglicérides:  transporta triglicerídeos e um pouco de colesterol.

LDL (Low-density lipoprotein): transporta colesterol e um pouco de triglicerídeos do sangue para os tecidos.

HDL ( High-density lipoprotein): tira colesterol dos tecidos e devolve para o fígado que vai excretá-lo nos intestinos.

Enquanto o LDL e o VLDL levam colesterol para as células e facilitam a deposição de gordura nos vasos, o HDL faz o inverso, promove a retirada do excesso de colesterol, inclusive das placas arteriais. Por isso, denominamos o HDL como colesterol bom e o VLDL e o LDL como colesterol ruim.

A produção das lipoproteínas é regulada pelos níveis de colesterol:

  • Colesterol derivado de gorduras saturadas e gordura trans favorecem a produção de LDL (colesterol ruim)
  • Colesterol derivado de gorduras insaturadas (encontrada no azeite, peixes e amêndoas) promovem a produção do HDL (colesterol bom).

Como Controlar o Colesterol

  • Siga as orientações do seu médico
  • Tenha uma alimentação saudável: indicada para qualquer indivíduo, mesmo aqueles com níveis de colesterol controlados. No final deste post, seguem algumas dicas.
  • Controle o peso corporal: a obesidade e o sedentarismo trazem outros problemas adicionais.
  • Pratique exercícios físicos: procure orientação profissional para realizar exercícios de acordo com sua condição física.

Dicas de Alimentação Saudável

Prefira alimentos in natura: legumes, vegetais, frutas, cereais, etc.

Carnes: prefira peixes e carnes de aves sem pele. Carne vermelha somente sem gordura. Evite embutidos, carnes processadas, camarão, povo e lulas.

Ovos: observe quantos ovos são consumidos diariamente (incluindo no bolos, pães e etc). O ideal são até 4 gemas por semana. A clara não contem colesterol.

Leite e derivados: prefira os desnatados, o mesmo serve para queijos e iogurtes. Dê preferência ao queijo cottage e ao queijo Minas na versão light. Cuidados com os sorvetes cremosos.

Informações parciais das fontes: http://www.mdsaude.com/2011/07/dieta-para-baixar-o-colesterol.html

Vídeo: https://youtu.be/f9r4KzSDzcc

https://www.endocrino.org.br/dia-nacional-de-combate-ao-colesterol/

Imagem: Pixabay

Anúncios

Calor pode aumentar risco de formação de pedra nos rins

O calor intenso do verão, o aumento da transpiração e a baixa ingestão de água são os principais responsáveis pelo aumento do risco de formação dos cálculos renais, ou pedra nos rins. Mudar a alimentação e beber líquidos regularmente são algumas medidas que podem evitar o problema, explica Fábio Vicentini, urologista do Centro de Referência para a Saúde do Homem, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

pedra-nos-rins

Segundo Vicentini, os casos de cálculo renal aumentam 30% nos períodos mais quentes do ano. Apesar de ter maior incidência nos homens, o especialista alerta que todos devem adotar as medidas para cuidar da saúde dos rins. “A dieta ideal inclui primordialmente a ingestão de cerca de dois litros de água por dia e de sucos de frutas cítricas, associada à diminuição do uso de sal nos alimentos. As refeições diárias devem conter mais verduras, legumes, frutas e saladas”, explica.

É preciso ainda estar atento quanto aos frutos do mar, porque apresentam índice elevado de ácido úrico, um dos responsáveis pelo desenvolvimento dos cálculos renais. Além disso, é recomendável reduzir as frituras e o consumo de carne vermelha no período de calor.

Segundo Vicentini, mais de 15% da população mundial apresenta cálculos renais e a maioria (85%) consegue expelir as pedras naturalmente, pela urina. “A maneira mais fácil de monitorar a hidratação ideal do corpo é observarmos a coloração da urina. Quanto mais transparente estiver, melhor. Se estiver com aparência amarelada e escura, é sinal de que o corpo precisa de mais líquidos para manter-se hidratado, longe dos cálculos renais”, disse.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://noticias.uol.com.br/saude

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Comer mais carne vermelha pode levar ao diabetes tipo 2

O consumo de carne vermelha já foi associado a uma série de problemas de saúde, especialmente ao maior risco de doenças cardiovasculares e de tipos de câncer, como o renal. Agora, um extenso estudo feito na Universidade Nacional de Singapura, com base nos dados de quase 150.000 pessoas, mostrou que aumentar o consumo do alimento pode causar o diabetes tipo 2. A pesquisa foi publicada nesta segunda-feira no periódico JAMA Internal Medicine.

carne-vermelha-1318605496778_956x500

Segundo os autores do trabalho, outros estudos já haviam apontado para a relação entre carne vermelha e diabetes tipo 2, mas eles foram feitos durante um curto período de tempo. Isso, acreditam os pesquisadores, acaba limitando os resultados, já que os hábitos alimentares das pessoas estão em constante mudança.

A nova pesquisa foi feita a partir dos dados de três estudos sobre hábitos alimentares feitos na Universidade Harvard, Estados Unidos, que avaliaram, ao todo, 149.143 homens e mulheres. Os autores concluíram que aumentar o consumo de carne vermelha ao longo de quatro anos já é suficiente para elevar o risco de diabetes tipo 2.

Especificamente, comparadas a pessoas que passaram quatro anos sem alterar o seu consumo de carne vermelha, aquelas que aumentaram a ingestão do alimento em meia porção a mais por dia apresentaram um risco 48% maior de ter diabetes tipo 2. Diminuir meia porção da quantidade total de carne vermelha consumida em um dia, por outro lado, reduz em 14% as chances da doença em um período de quatro anos.

Como o estudo foi observacional, porém, não foi possível que os autores descobrissem de que forma a carne vermelha age no organismo, elevando o risco do diabetes tipo 2. “Nossos resultados confirmam a solidez da associação entre carne vermelha e diabetes tipo 2 e adiciona evidências de que reduzir o consumo do alimento durante o tempo confere benefícios à prevenção da doença”, escreveram os autores na conclusão do estudo.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://veja.abril.com.br


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.287 outros seguidores

Calendário

outubro 2017
S T Q Q S S D
« set    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 821,687 hits

Top 5


%d blogueiros gostam disto: