Posts Tagged 'carnes gordurosas'

Comer mais carne vermelha pode levar ao diabetes tipo 2

O consumo de carne vermelha já foi associado a uma série de problemas de saúde, especialmente ao maior risco de doenças cardiovasculares e de tipos de câncer, como o renal. Agora, um extenso estudo feito na Universidade Nacional de Singapura, com base nos dados de quase 150.000 pessoas, mostrou que aumentar o consumo do alimento pode causar o diabetes tipo 2. A pesquisa foi publicada nesta segunda-feira no periódico JAMA Internal Medicine.

carne-vermelha-1318605496778_956x500

Segundo os autores do trabalho, outros estudos já haviam apontado para a relação entre carne vermelha e diabetes tipo 2, mas eles foram feitos durante um curto período de tempo. Isso, acreditam os pesquisadores, acaba limitando os resultados, já que os hábitos alimentares das pessoas estão em constante mudança.

A nova pesquisa foi feita a partir dos dados de três estudos sobre hábitos alimentares feitos na Universidade Harvard, Estados Unidos, que avaliaram, ao todo, 149.143 homens e mulheres. Os autores concluíram que aumentar o consumo de carne vermelha ao longo de quatro anos já é suficiente para elevar o risco de diabetes tipo 2.

Especificamente, comparadas a pessoas que passaram quatro anos sem alterar o seu consumo de carne vermelha, aquelas que aumentaram a ingestão do alimento em meia porção a mais por dia apresentaram um risco 48% maior de ter diabetes tipo 2. Diminuir meia porção da quantidade total de carne vermelha consumida em um dia, por outro lado, reduz em 14% as chances da doença em um período de quatro anos.

Como o estudo foi observacional, porém, não foi possível que os autores descobrissem de que forma a carne vermelha age no organismo, elevando o risco do diabetes tipo 2. “Nossos resultados confirmam a solidez da associação entre carne vermelha e diabetes tipo 2 e adiciona evidências de que reduzir o consumo do alimento durante o tempo confere benefícios à prevenção da doença”, escreveram os autores na conclusão do estudo.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site:  http://veja.abril.com.br

Câncer infantil: diagnóstico precoce e quimioterapia permitem cura de até 80%

Dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) indicam que, todos os anos, cerca de 9 mil casos de câncer infantil são detectados no País. Os tipos mais comuns são a leucemia (doença maligna dos glóbulos brancos) e os linfomas (que se originam nos gânglios). A boa notícia é que o diagnóstico precoce e a quimioterapia, juntos, representam a principal arma contra a doença e permitem índices de cura que chegam a 80%.

cancer

No Dia Internacional de Combate ao Câncer Infantil, lembrado no dia 15 de fevereiro, a onco-hematologista e diretora técnica do Hospital da Criança de Brasília, Isis Magalhães, lembrou que a doença em crianças é diferente da diagnosticada em adultos. Nas crianças, as células malignas são geralmente mais agressivas e crescem de forma rápida. Os tumores dificilmente são localizados e o tratamento não pode ser feito com cirurgia, destacou a especialistas, em entrevista à Agência Brasil.

Outra peculiaridade do câncer infantil é que não há forma de prevenção, uma vez que não é possível explicar a razão do surgimento dos tumores. A médica alertou que os sinais da doença podem ser facilmente confundidos com os de quadros bastante comuns em crianças, como infecções. Alguns exemplos são o aparecimento de manchas roxas na pele e anemia. Os sintomas, entretanto, devem se manifestar por um período superior a duas semanas para causar algum tipo de alerta.

“É preciso saber identificar quando aquilo está passando do limite e quando é normal. Afinal, qual criança não tem uma mancha roxa na canela de vez em quando? Dependendo da situação, a lista de sinais causa mais desespero nos pais do que ajuda”, explicou. A orientação, segundo ela, é levar as crianças periodicamente ao pediatra.

Isis também defende que os próprios oncologistas pediátricos orientem profissionais de saúde da rede básica sobre os sinais de alerta do câncer infantil. A ideia é que o pediatra geral e o agente de saúde, por exemplo, sejam capazes de ampliar seu próprio grau de suspeita, prescrever exames mais detalhados e, se necessário, encaminhar a criança ao especialista.

“A doença não dá tempo para esperar. É preciso seguir o protocolo à risca, porque essa é a chance da criança. O primeiro tratamento tem que ser o correto”, disse. Isis destacou também a importância de centros especializados de câncer infantil, já que a doença precisa ser combatida por equipes multidisplinares, compostas por oncologistas, pediatras, neurologistas, cardiologistas, infectologistas e mesmo psicólogos, odontólogos e fisioterapeutas, além do assistente social.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.brasil.gov.br/

Câncer Infantil: Tratamentos e Dúvidas

tumblr_m3t0nwhRC91qk10jf

Quais os principais tratamentos?

No tratamento pode ser usado a quimioterapia (o câncer infantil é mais sensível à quimioterapia, a principal arma contra a doença), radioterapia, cirurgia e o transplante de medula óssea (usado em alguns caso de leucemia, linfomas e tumores sólidos). A criança reage melhor ao tratamento e apresenta menos efeitos colaterais.

O progresso no desenvolvimento do tratamento do câncer na infância foi espetacular nas últimas quatro décadas. Atualmente, 70% das crianças acometidas de câncer podem ser curadas, se diagnosticadas precocemente e tratadas em centros especializados. A maioria dessas crianças terá vida praticamente normal.

Porém, viver uma vida normal durante o tratamento e depois da alta, implica na re-inserção do paciente em seu meio social e, em se tratando de crianças e adolescentes em idade escolar, no seu retorno ao ambiente escolar. Infelizmente, a volta à escola apresenta uma série de desconfortos para o paciente.

Esse retorno é estressante para as crianças com câncer por envolver aspectos emocionais e questões relativas à aceitação social. Antes do trabalho informativo a falta de esclarecimento sobre o câncer propiciou o estabelecimento do mistério em torno da aparência física das crianças doentes na escola, configurando um clima hostil e agressivo para elas. Essas dificuldades vão desde o preconceito quanto á doença em si e medo irracional de contágio por parte dos colegas, até a maneira com que o professor pode tratar um paciente ou ex-paciente de câncer infantil dentro e fora da sala de aula.

As faixas etárias pediátricas mais precoces (0 a 4 anos) são as mais propensas ao desenvolvimento de câncer (Petrilli et al., 1997), com exceção de linfomas, carcinomas e tumores ósseos, que predominam em crianças entre 10 e 14 anos. As estatísticas da AACC de 2001 a 2007, mostram que 40% dos pacientes atendidos está na faixa de 06 a 15 anos e portanto em idade escolar.

O que causa o câncer?

O câncer pode ser causado por fatores externos (substâncias químicas, irradiação e vírus) e internos (hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas).

O câncer é hereditário?

Em geral, o câncer não é hereditário. A criança não herda o câncer, mas componentes genéticos a tornam predisposta à doença. São raros os casos em que a doença é herdada, como o retinoblastoma, um tipo de câncer de olho que afeta crianças.

O câncer infantil é contagioso?

Não. Mesmo os casos de câncer causados por vírus não são contagiosos, isto é, não passam de uma pessoa para outra, como um resfriado.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.aacc.org.br

Dia Internacional do Câncer Infantil

Todos estão comemorando o Carnaval ainda. Alguns descansando e outros, brincando. Mas a prevenção deve ser uma constante para que estes dias sejam sempre motivos de alegria, certo? Por esse motivo, postamos uma série de informações neste sentido.

Semana passada, além do Carnaval, assuntos relativos ao dia Mundial do Câncer (04/02) foram amplamente discutidos pelas mídias. Esta semana, vamos falar um pouco mais sobre o Câncer Infantil em virtude do Dia Internacional do Câncer Infantil (15/02). Saibam o que estão fazendo em relação à doença que atingem nossos pequenos e como podemos lidar com essa realidade.

imgHandler.ashx_55

O Dia Internacional do Combate ao Câncer Infantil é celebrado todo dia 15 de fevereiro. A data é uma iniciativa para promover a conscientização e educação sobre a doença em toda a sociedade com o objetivo de evitar milhões de mortes ao redor do mundo.

Após a mobilização pelo Dia Mundial do Câncer, que bateu recorde de compartilhamentos e teve a hashtag #juntosépossível repetida centenas de vezes por usuários engajados, é hora de nos unirmos mais uma vez em prol da conscientização sobre a doença, mais especificamente, sobre o câncer infantojuvenil.

O Diagnóstico Precoce do câncer infantojuvenil e o Instituto Ronald McDonald

No Brasil, o câncer ainda é a principal causa de mortalidade por doença na faixa de 5 a 19 anos. Porém, desde que o diagnóstico seja feito precocemente, as chances de cura podem chegar a 85%, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Portanto a forma mais efetiva de curar o câncer em crianças e adolescentes é o diagnóstico precoce da doença. Saber encaminhar casos suspeitos corretamente contribui sensivelmente para o tratamento adequado, aumentando as chances de cura dos pequenos pacientes.

É por isso que, desde 2008, o Instituto Ronald McDonald desenvolve o Programa Diagnóstico Precoce, em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (INCA) e com a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE). O Programa tem por objetivo capacitar profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF), bem como os médicos do SUS que sejam referência para o atendimento de crianças e adolescentes para suspeitar e encaminhar adequadamente casos de crianças e adolescentes com suspeita de câncer, reduzindo o tempo entre o surgimento da doença e início do tratamento.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.instituto-ronald.org.br


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.102 outros seguidores

Calendário

maio 2022
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 1.027.834 hits

%d blogueiros gostam disto: