Posts Tagged 'Doenças Respiratórias'

Fungos aumentam no frio e podem causar doenças respiratórias

Nos dias frios muitas pessoas fecham a casa para manter o ambiente aconchegante e quente. Mas isso pode oferecer riscos à saúde porque microrganismos, conhecidos como mofo, gostam de locais úmidos e escuros. O banheiro é o local mais propenso a dar mofo por causa do vapor dos banhos quentes. Pessoas que têm asma, bronquite ou rinite alérgica são as mais sensíveis à presença dos fungos em casa, podendo ter crises sérias dessas doenças.

mulher-espirrando

O alergista do Hospital Federal da Lagoa, vinculado ao Ministério da Saúde, Simonides Carriço, alerta que a presença do mofo em casa pode, nos casos mais extremos, causar complicações mais sérias. “O mofo pode causar principalmente as alergias respiratórias, rinites, asma, sinusites, e também pode provocar doenças mais graves, como sinusites fungicas, que é provocada pelo próprio mofo. Pode levar a pneumonias fungicas que é um quadro bem mais grave, ela é de difícil diagnóstico e o tratamento é meio complicado. Todas as doenças respiratórias são aumentadas quando você tem uma proliferação maior do mofo.”

O alergista Simonides Carriço diz quais cuidados devemos ter para evitar a proliferação dos microrganismos. “Você deve deixar entrar sol, se possível na casa, primeira coisa. Se possível também colocar um desumidifcador, isso tem que ser de acordo com a metragem da residência. Então todas as pessoas têm que limpar, colocar aqueles anti-mofos em armários. Todas as roupas têm que ser tiradas antes. Tem que tirar de preferência um ou dois dias antes, bater, deixar no sol, lavar antes para tentar controlar essa umidade.”

O especialista ressalta ainda que, para evitar o mofo, é preciso manter a casa sempre arejada, com janelas abertas para o vento circular e diminuir o excesso de umidade em armários.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.blog.saude.gov.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Só 22% dos brasileiros têm Alimentação Saudável

Em 31 de março comemora-se o Dia Nacional da Saúde e Nutrição, data importante para refletir e avaliar como vai a alimentação. Uma pesquisa divulgada anualmente pelo Ministério da Saúde apontou que, em 2013, apenas 22,7% da população brasileira consumia a quantidade diária de frutas, legumes e verduras recomendada pela Organização Mundial de Saúde: cinco porções ou 400 gramas.

Cafe-Manha
Esse dado aliado às facilidades do dia a dia – era do carro, do controle remoto, da internet e da comida pronta industrializada – e ao crescimento do sedentarismo tem contribuído para o aumento da obesidade, transformando-a em epidemia mundial.

A doença já é reconhecida como sério problema de saúde pública, pois afeta, em todo o mundo, um número crescente de pessoas, acarretando graves problemas sociais e de saúde. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade já atinge mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo. Dados do Ministério da Saúde mostram que a obesidade atinge 17% da população brasileira. Em 2006, o índice era de 11%.

Segundo o cirurgião, Sizenando Ernesto de Lima, a obesidade está ligada a um desequilíbrio na alimentação e no consumo excessivo de comida. “Além do fator genético, existe o comportamental. Sempre que as pessoas aumentam a ingestão de alimentos e diminuem a atividade física, engordam. O correto é fazer as três principais refeições do dia – café da manhã, almoço e jantar –, intercaladas com pequenas porções de frutas”, orienta.

O médico explica que a obesidade pode ser classificada como leve (IMC, índice de massa corpórea, entre 30 e 35), moderada (entre 35 e 40) e mórbida (acima de 40). Mais perigosa, a mórbida está, na maioria das vezes, associada à hipertensão arterial, diabetes e doenças respiratórias.

Cirurgia bariátrica

Para os pacientes que atingiram o grau de obesidade mórbida, a única alternativa para não correr riscos de morte e voltar a ter uma qualidade de vida é a cirurgia. Atualmente, são realizados no Brasil 80 mil procedimentos por ano.

O preparo para a intervenção leva de dois a seis meses. O especialista explica que devido à alta complexidade, diversos profissionais devem atuar em conjunto antes, durante e depois do procedimento.

O nível de glicemia tem de estar regulado, em caso de diabetes, e muitos pacientes precisam perder 10% do peso antes da cirurgia. A recuperação da cirurgia passa por um período de total aprendizagem. No primeiro mês, o paciente se alimenta exclusivamente de líquidos – água, sucos, gelatina, chá e isotônicos.

Depois, entra a alimentação pastosa que evolui gradativamente para uma consistência cada vez mais próxima do normal. Em cerca de 90 dias o paciente poderá comer praticamente de tudo, devagar e em pequenas porções. Alimentos doces devem ser suprimidos porque provocam dumping – mal-estar acompanhado de náuseas, suor frio e tremedeira – e para evitar ganho de peso.

Mesmo recuperado e se alimentando normalmente, o paciente precisa de acompanhamento para não ter recaídas. Além das visitas ao cirurgião, deve-se participar de reuniões periódicas de apoio com equipe multiprofissional. O objetivo é buscar o bem-estar físico e emocional, através da seleção dos alimentos que contenham os nutrientes mais saudáveis e adequados às necessidades de cada indivíduo, para que a rápida perda de peso não leve à desnutrição. Diariamente, e para sempre, o operado tem de tomar um complexo vitamínico e ingerir 100 gramas de carne, para evitar anemia.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.bonde.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Pratique Essa Ideia A Qualquer Momento

Campanha-ATIVIDADE-FISICA-2013

Asma ainda mata 2,5 mil pessoas por ano no Brasil

Ontem, dia 21 de Junho, foi celebrado o Dia Nacional da Asma, doença que alcança mais de 22 milhões de brasileiros, segundo dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Apesar de ser controlável por tratamento, que é oferecido gratuitamente na rede pública, a doença ainda mata cerca de 2,5 mil pessoas por ano, de acordo com o Ministério da Saúde.

Divulgada nacionalmente, uma complicação de asma matou o filho mais novo do presidente da Embratur, Marcelo Dino, de 13 anos, no dia 14 de fevereiro passado, depois de uma crise quando estava internado no Santa Lúcia, um dos mais conhecidos hospitais privados da capital federal. As circunstâncias da morte foram investigadas pelo Ministério Público do Trabalho e pela Polícia Civil do Distrito Federal.

A asma é uma inflamação pulmonar crônica, multifatorial, transmitida geneticamente, caracterizada por episódios recorrentes de falta de ar, tosse, chiado e aperto no peito. Na maioria dos casos, o problema começa na infância, mas pode surgir em qualquer faixa etária, como explica a alergista e imunologista pediátrica do Hospital da Criança, Cláudia França Valente.

Para prevenir os ataques, a pessoa deve ter cuidado com ambiente onde mora, segundo ela. O local deve ser iluminado, arejado e com a menor quantidade de objetos possível, para impedir a retenção de poeira. A Secretaria de Saúde do DF realizará a partir de amanhã (22), até 29 de junho, a 8ª Semana de Combate à Asma. No evento, serão realizadas palestras educativas para o público em geral sobre a doença.

O pneumologista e professor da Universidade de Brasília (UnB), Ricardo Martins, orienta que, além de cuidar do ambiente e usar os medicamentos, o asmático também deve manter uma vida saudável, se alimentar bem, ter boa qualidade de sono e praticar atividade física. ‘É uma doença que, apesar de não ter cura, tem tratamento, e os pacientes garantem a qualidade de vida’, explicou.

A alergista Cláudia Valente completa que a atividade física não é só a natação, mas qualquer exercício, como o futebol, a caminhada ou a corrida. ‘A prática esportiva ajuda porque aumenta a capacidade respiratória e a resistência à crise. Entretanto, a prática do esporte deve ser orientada pelo médico, e só deve ser feita sob a orientação desse profissional, se a asma estiver sob controle’, ressaltou.

Se a doença for tratada adequadamente, o paciente pode deixar de usar a medicação. ‘É como na hipertensão. O paciente passa pelo tratamento para se chegar ao controle da doença, mas não há cura. Em alguns casos, o asmático chega a deixar de usar o medicamento, mas deve estar sempre atento para que a doença não volte. Quando se está em tratamento, a medicação deve ser usada regularmente’, explicou a médica.

No entanto, caso a doença não seja tratada adequadamente, o paciente pode morrer. ‘A asma uma doença que pode matar, mas se for bem tratada, isso raramente ocorre’, disse o pneumologista Ricardo Martins.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://noticias.br.msn.com

Muito frio? Confira 5 posts selecionados para enfrentar o inverno com mais saúde!

Confira os links abaixo para enfrentar esse inverno com mais saúde, disposição e informação!

Resfriado ou Gripe?

Doenças Respiratórias

Mais fome no frio?

Tosse…ran-ran na garganta?

Turbine o sistema imunológico através da alimentação!

Postado por Edson Fabrício
Siga o blog no Twitter: @vivamelhor
Imagens: reprodução

Tour em “pulmão gigante” é atração em SP

A exposição, que vai de 30 de abril a 2 de maio, estará no Parque das Bicicletas, localizado na zona sul da cidade

Uma parceria entre a Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT) e da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) – com o apoio do Secretário Municipal de Esportes, Dr. Walter Feldman – apresenta a exposição “Pulmão Gigante”, a qual terá uma reprodução inflável de 190 m² do órgão, permitindo o acesso do público ao seu interior a fim de conhecer suas particularidades e os principais problemas que o atingem.

A exposição, que tem como objetivo alertar a todos sobre as principais doenças respiratórias, suas medidas de prevenção e a importância do diagnóstico precoce, faz parte da celebração do Ano do Pulmão, que vem sendo comemorado em 2010 por sociedades médicas de diversas partes do mundo.

Exposição Pulmão Gigante
Data: de 30 de abril a 2 de maio
Horário: das 9h às 18h
Local: Parque das Bicicletas
Endereço: Alameda Iraé (esquina com a Avenida Indianópolis), 35, Moema
Informações: 0800 61 62 18
Entrada Gratuita

[Fonte]

Consumo de Soja pode proteger contra doenças respiratorias…

É o que indica um estudo australiano publicado na revista científica Respiratory Research. Os autores destacam que o tabagismo é o principal factor de risco, mas a alimentação também tem o seu papel no desenvolvimento da doença.

Avaliando 278 pessoas com a doença pulmonar e 340 sem a doença – todas com idades entre os 50 e 75 anos –, os especialistas descobriram que aqueles que não tinham a doença consumiam mais soja por dia – cerca de 60 gramas – do que os que tinham o problema respiratório (45g em média).

Baseados nos resultados, os investigadores concluíram que a ingestão habitual de soja «pode ter um importante impacto nos custos dos sistemas de saúde associados com a morbilidade e mortalidade da doença».

Porém, mais estudos serão necessários para avaliar se esses alimentos podem ajudar a prolongar a sobrevivência de pacientes já diagnosticados com a condição.

2009-07-16


Twitter @vivamelhor

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 2.199 outros seguidores

Calendário

fevereiro 2020
S T Q Q S S D
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 981.884 hits

%d blogueiros gostam disto: