Posts Tagged 'Criança'

Estatuto da Criança e do Adolescente comemorou 25 anos

Ontem, 13 de julho, o Estatuto da Criança e do Adolescente comemorou 25 anos de criação. O ECA foi instituído pela Lei 8.069, de 1990, e regulamenta os direitos das crianças e dos adolescentes inspirado pelas diretrizes fornecidas pela Constituição Federal.

25-anos-eca

O Estatuto estabelece os direitos e deveres de menores de 18 anos e protege as crianças e adolescentes em todo o país, principalmente nas áreas de educação, saúde, trabalho e assistência social. Muitos avanços foram ocasionados pelo Estatuto, entre eles o aumento no número de denúncias de maus tratos infanto-juvenis e punições aos agressores.

Segundo o ECA, é considerado criança quem tem até 12 anos incompletos. Já entre 12 e 18 anos são adolescentes. O estatuto define que esta faixa etária têm direito à vida, saúde, alimentação, educação, esporte, cultura e liberdade. Eles têm também direito ao atendimento prioritário em postos de saúde e hospitais e devem receber socorro em primeiro lugar no caso de acidente de trânsito, incêndio, enchente ou qualquer situação de emergência.
Os direitos das crianças começam antes mesmo do nascimento. As gestantes devem ter bom atendimento médico na rede pública de saúde e, depois de dar à luz, têm direito a condições de trabalho adequadas para a amamentação, como horário especial e local silencioso.

Nenhuma criança ou adolescente pode sofrer maus tratos: descuido, preconceito, exploração ou violência. Os casos de suspeita ou confirmação de maus tratos devem sempre ser comunicados a um Conselho Tutelar, órgão ligado à prefeitura e formado por pessoas da comunidade.

Em 2014 foram registrados 182.326 violações contra a população infanto-juvenil no Disque Direitos Humanos. O Disque 100 é um serviço mantido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) para registro e encaminhamento de denúncias. A maioria das denúncias (37%) é relacionada à negligência, seguido por violência psicológica (25%) e violência física (21%).

Os governos (federal, estadual e municipal), a sociedade, a comunidade e a família têm a responsabilidade de garantir o direito à vida e à saúde das crianças e adolescentes. Ter saúde também é estar na escola, alimentar-se bem, ter amigos, brincar, divertir-se, fazer alguma atividade física. Toda criança e adolescente tem o direito de ser atendido na rede de saúde, como nos postos de saúde, nos ambulatórios, nas equipes de saúde da família e nos hospitais que fazem parte do SUS – Sistema Único de Saúde.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.blog.saude.gov.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Lei do Aprendiz. Já ouviu falar?

Campanha-ECA-2015

Dia Mundial da Infância

esps-deficit-de-atencao-e-hiperatividade

A UNICEF instituiu o dia 21 de março como o Dia Mundial da Infância. Amanhã, celebramos o direito das crianças de brincar, correr, desenvolver a sua curiosidade, fazer amigos e se divertir. A data volta os nossos olhos também à importância de nós, adultos, garantirmos  a formação social, educacional e de valores dos nossos pequenos.

A saúde na infância

É ainda no ventre materno que começam os cuidados com a saúde do bebê. E ao longo de toda a infância, os pequenos vão exigir atenção e zelo com a saúde. São vacinas, consultas e exames de rotina, riscos de acidentes, busca por uma alimentação saudável – tentando deixá-los longe de guloseimas e produtos industrializados para ingerir alimentos ricos em nutrientes – entre outras questões que os pais precisam administrar para um bom crescimento e desenvolvimento dos filhos. Especialistas afirmam que muitos problemas de saúde dos adultos têm relação direta com maus hábitos durante a infância. Nesta edição, a Revista Imagem Real traz orientações para que crianças cresçam saudáveis e prolonguem os resultados positivos por toda a vida adulta.

Alimentação 

Frutas, verduras, e outras refeições saudáveis devem fazer parte do cotidiano de toda criança, pois os bons hábitos alimentares são fundamentais para que ela cresça sadia e vão se refletir na sua vida adulta. A criança que consome muito sal ou que bebe leite de vaca (que tem mais sódio do que o materno) tem o paladar estimulado para gostar de alimentos salgados durante sua vida toda e levar a uma sobrecarga renal durante a infância mesmo ou à hipertensão. O leite de vaca não modificado pode causar também alterações metabólicas e obesidade em crianças menores de seis meses. Não é raro que os pais dêem até salgadinhos e frituras para seus filhos de menos de um ano de idade: quase 10% dos bebês já têm acesso a esse tipo de alimento. Açúcar, café, corantes e produtos industrializados também devem ser evitados ao máximo.

Atividade

A combinação esporte/atividade física e alimentação saudável é a principal receita para manter o peso ideal. A vida urbana e sedentária, facilitada pelos avanços tecnológicos, faz com que as crianças não sejam fisicamente ativas, levando a desenvolverem doenças de “gente grande” e podendo até mesmo agravar tendências genéticas.

Hoje em dia, ao contrário de alguns anos atrás, as crianças ficam dentro de casa até nos momentos de lazer – muitas vezes até por opção dos pais, devido à violência urbana – substituindo atividades como correr e jogar bola pelo computador, televisão ou videogame. E não é incomum, junto a isso, estarem com um pacote de biscoito ou salgadinho e refrigerante, agravando ainda mais a situação. Dentro desse contexto, é cada vez mais comum crianças terem dislipidemia (colesterol e triglicérides altos), hipertensão, diabetes, ansiedade e até mesmo depressão.

Uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Universidade São Marcos, com apoio do International Life Sciences Institute (ILSI) revelou que 16% dos estudantes de 10 a 15 anos estão na faixa de sobrepeso e 10% estão obesos. Paralelamente, 81% dos alunos de escolas particulares e 65% dos alunos de escolas públicas realizam menos de dez minutos de atividade física por dia e se encaixam em um quadro de sedentarismo. E mesmo que não esteja acima do peso, a probabilidade de apresentar disfunções como a dislipidemia é grande, exceto por uma genética muito favorável.

A criança que está em formação osteo-musculoesquelética tem que manter atividades físicas associadas à alimentação saudável, para no futuro tornarem-se adultos saudáveis.

Aleitamento materno

Durante os seis primeiros meses, a criança deve se alimentar exclusivamente de leite materno. “O leite materno contém tudo que o bebê precisa até os seis meses de vida, inclusive água”, afirma a enfermeira-chefe da Maternidade Santamaría, Loise Chamusca. Ela destaca que o ato de amamentar exige muita paciência, disposição, dedicação e vontade. Isso porque, nos primeiros dias logo após o parto, é comum as mães sentirem uma dificuldade inicial, é a fase de adaptação, em que elas costumam ficar inseguras, ansiosas e muito cansadas, pois é a fase do “colostro”, que, embora seja um leite super importante, possuidor de mais de 180 anticorpos identificados, é um leite que hidrata, porém não sacia.

Nessa fase inicial, normalmente o bebê tem necessidade de sugar por quase todo tempo, dando a impressão de que está sempre com muita fome. Por volta de 48 a 72 horas após o parto é que se inicia o processo da descida do leite, a apojadura, e é nesse momento que a mãe passa a produzir uma quantidade maior de leite, o recém-nascido fica mais tranquilo e passa a definir intervalos entre as mamadas, dando dessa forma mais confiança a sua mamãe em relação à eficácia do aleitamento.

“Por falta de orientação e de um bom acompanhamento durante a amamentação, muitas mães desistem de amamentar. A mãe precisa antes de tudo acreditar no aleitamento materno e sentir o desejo de amamentar para superar todos os obstáculos que porventura surgirem no decorrer do processo. É muito importante que essas mães aceitem a amamentação com naturalidade, na certeza de que a maioria das dificuldades podem ser corrigidas e que com o tempo e a prática é que conquistam a segurança e a habilidade para finalmente se alcançar o prazer da maravilhosa troca entre mãe-filho no ato de amamentar”, diz Loise.

Depois dos seis primeiros meses é que se deve introduzir outros alimentos – como legumes, tubérculos, cereais, frutas e carnes – podendo continuar com o aleitamento paralelamente até pelo menos os dois anos de idade.

Acidentes

Todo acidente tem uma causa definida, por mais imprevisível que pareça ser. Em geral, são o resultado de uma combinação de fatores, entre eles, falhas humanas e falhas materiais. “Evitar é sempre o melhor remédio. Se podem ser previstos, podem ser evitados”, salienta o pediatra Dr. Fábio Caribé.

Os acidentes ou lesões não-intencionais – que englobam atropelamentos, ocupantes de veículos automotores, afogamentos, queimaduras, quedas, envenenamentos, obstruções de vias aéreas – são a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil. “Por si, configura como uma séria questão de saúde pública. O trauma é a principal causa de morte em crianças e adultos jovens, e um dos maiores problemas de saúde pública mundial quando considerada a sobrevida, as sequelas temporárias ou permanentes”, comenta o especialista. Estimativas mostram que a cada morte, outras quatro crianças ficam com seqüelas permanentes e que cerca de 90% das lesões poderiam ser evitadas com prevenção.

O conceito de acidentes, como eventos incontroláveis do destino, inesperados e casuais, é errôneo e impede o progresso do seu controle. Deve ser interpretado como um evento previsível e que pode ser prevenido, possibilitando identificar os grupos de risco e, a partir daí, as principais estratégias de prevenção.

Dr. Fábio Caribé observa que, conforme seu desenvolvimento, a criança apresenta novas habilidades e capacidades e diferentes interações com o meio ambiente. “É um ser imaturo, inquieto, curioso e repleto de energia, incapaz de avaliar ou prever as consequências de suas atitudes. Este fato envolve riscos variados, cuja prevenção deve ser conhecida pelos seus responsáveis e por todos aqueles que lidam com ela”, salienta.

Os menores de dois anos, por exemplo, estão mais sujeitos a riscos impostos por terceiros, como queimaduras, intoxicações, colisão de automóvel e quedas; na fase pré-escolar, sofrem mais atropelamentos, acidentes por submersão, quedas de lugares altos, ferimentos, lacerações e queimaduras; na idade escolar, podem ser vítimas de atropelamentos, quedas de bicicletas, quedas de lugares altos, traumatismos dentários, ferimentos com armas de fogo e lacerações; e adolescentes costumam sofrer acidentes de transporte (como motorista e passageiro), atropelamentos, acidentes como ciclistas e motociclistas, fraturas associadas a práticas esportivas, afogamento, homicídios e intoxicações por abuso de drogas.

EVITE OS ACIDENTES

Quedas

  • – Recolha brinquedos e outros objetos do piso.
  • – Os tapetes devem ser fixados com fita adesiva dupla-face ou forro de borracha antiderrapante.
  • – Se qualquer substância líquida for derramada no chão, deve-se secá-la imediatamente.
  • – Não deixar objetos na escada.
  • – Coloque portão de segurança no topo e embaixo da escada, se houver criança pequena em casa.
  • – Andador é contra-indicado para crianças.
  • – Evite brincadeiras de risco na cama.
  • – Crianças menores de 6 anos não devem dormir na parte de cima de beliche.
  • – Coloque dispositivos de segurança nas janelas.
  • – Não coloque berço ou outro móvel próximo à janela.
  • – Brincadeiras de crianças em telhados e varandas não devem ser permitidas.

Queimaduras

  • – As crianças não devem ter livre acesso a eletrodomésticos, fósforo e isqueiro.
  • – As crianças pequenas não devem transitar ou permanecer na cozinha; se houver necessidade, precisam ser continuamente supervisionadas.
  • – Não é seguro lidar com líquidos quentes e, ao mesmo tempo, cuidar de lactentes.
  • – Cozinhar e transportar líquidos quentes são atividades que devem ser executadas por adultos e nunca por crianças.
  • – No banheiro, a água quente, no balde ou na banheira, representa risco para a criança, a qual nunca pode ficar desacompanhada. Deve-se conferir a temperatura da água antes do banho.
  • – Na mesa de refeições, os alimentos devem ser colocados no centro e não se devem usar toalhas.
  • – As crianças não devem ter livre acesso a fios, linhas elétricas, tomadas e interruptores. Devem-se colocar protetores nas tomadas e embutir a fiação.

Intoxicações

  • – Os medicamentos que não estejam em uso e também os desnecessários devem ser descartados de modo seguro.
  • – Os frascos de medicamentos devem ser fechados com a tampa de segurança logo após o uso.
  • – Nunca se deve falar com a criança que o medicamento é doce.
  • – As substâncias tóxicas e medicamentos devem ser mantidos em suas embalagens originais e nunca passados para outras.
  • – Os produtos com possibilidade de causar intoxicações não devem ficar à vista e ao alcance das crianças.
  • – Não há recomendação de se usar, rotineiramente, os xaropes ou suplementos de qualquer natureza, que lhes incentive o uso de medicamentos.
  • – Diante da possibilidade de a criança ter ingerido substâncias tóxicas, a primeira atitude a ser tomada pelos responsáveis é entrar em contato, por telefone, com o centro de assistência toxicológica para receberem orientação. Dessa forma, o número do centro deve estar sempre disponível, perto do telefone.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.hportugues.com.br/

Visite nosso site: http://www.vivamelhoronline.com.br

Feliz Dia de Quem For Criança

Mensagem-DIA-DAS-CRIANÇAS-2013

Receita para Todas as Idades

Mensagem-Dia-da-Infancia-2013

PAI, seja FELIZ hoje!

COMUNICADO-10-anos-Sulamerica-2013

Campanha da ACACCI alerta sobre Câncer Infantil

O câncer é hoje a doença que mais mata crianças e adolescentes de 1 até 19 anos no Brasil. De acordo com as estimativas do INCA, cerca de 11 mil novos casos são registrados por ano. Porém, muitas mortes podem ser evitadas com o diagnóstico.

MP_Publicidade_anu_dores_os

Para ajudar a identificar os primeiros sintomas do câncer infantil, uma campanha está sendo disponibilizada gratuitamente pela agência MP para instituições, ONGs, órgão governamentais e empresas privadas que queiram ajudar no controle à doença.

Os vídeos, spots de rádio, artes para outdoor e anúncios em jornais apresentam de forma fácil algumas indicações de que os pais devem prestar atenção na saúde dos filhos, como manchas roxas sem relação com traumas, palidez,  febre e infecções oportunistas, pupila esbranquiçada quando exposta à luz, dor abdominal recorrente e urina com sangue.

“É uma campanha educativa mostrando os sintomas da doença da forma mais explícita possível e ao mesmo tempo sem agredir, pois o assunto é delicado e precisa tocar no coração das pessoas, fazer com que prestem atenção à mensagem e não que a evitem. Por isso, usamos rosto de crianças com pinturas faciais semelhantes às usadas em festas infantis. O título, Fique atento aos sintomas do câncer infantil, resume o objetivo”, explica a diretora de criação da MP, Mônica Debbané.

Além da Associação Capixaba Contra o Câncer Infantil (Acacci), instituição que inspirou a criação da campanha, a Fundação Sara Albuquerque Costa, de Belo Horizonte (MG), já está utilizando as peças. Interessados em utilizar as peças podem entrar em contato com Marilia Debbané pelo e-mail marilia@mppublicidade.com.br.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.inca.gov.br

Câncer Infantil: Tipos e Principais Tratamentos

Conheça os tipos de câncer mais comuns em crianças e saiba mais sobre os tratamentos:

  • Leucemias (33%)
  • Tumores do sistema nervoso central (20%)
  • Linfomas (12%)
  • Neuroblastoma (8%)
  • Tumor de Wilms, dos rins (6%)
  • Tumores de partes moles (6%)
  • Tumores ósseos (5%)
  • Retinoblastoma, nos olhos (3%)
  • Linfoma de Hodgkin
  • Histiocitose
  • Tumores Germinativo

cancer-infantil

LEUCEMIA
É o câncer mais comum na infância. Leucemias têm origem na medula óssea, o tutano dos ossos, onde é normalmente produzido o sangue. Manifesta-se com dor nos ossos ou nas articulações, palidez, manchas roxas, sangramentos, febre, abatimento, etc.

A leucemia é diagnosticada através do mielograma, exame do sangue de dentro do osso. Existem vários tipos de leucemia: Leucemia Linfoide Aguda (LLA), Leucemia Mieloide Aguda (LMA), Leucemia Mieloide Crônica (LMC) e Leucemia Linfoide Crônica (LLC – só em adultos).

Além da medula óssea, as leucemias podem também acometer os testículos, endurecendo-os, e o líquor (líquido da espinha), provocando dores de cabeça e vômitos. As leucemias podem ter índices de cura de até 80% quando tratadas com quimioterapia. Em alguns casos, podem-se indicar também radioterapia e transplante de medula.

TUMORES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL
Os tumores do sistema nervoso central, cérebro e cerebelo são os tumores sólidos (que não leucemias e linfomas) mais frequentes em crianças. Os sintomas mais comuns são dor de cabeça e vômitos pela manhã, tontura e perda do equilíbrio.

Qualquer criança com persistência desses sintomas deve ser examinada por um médico neurologista, além de realizar tomografia ou ressonância nuclear magnética do crânio. O diagnóstico do tipo exato de tumor é feito durante a cirurgia. Os tumores benignos são tratados apenas com cirurgia. Para os tumores malignos são, em geral, necessárias quimioterapia e radioterapia.

LINFOMA NÃO HODGKIN
Mais frequente no sexo masculino, ocorre principalmente entre os 4 e 8 anos de idade. Atinge qualquer parte do corpo, principalmente tórax e abdome.

Quando o linfoma é na barriga, do tipo Brukit, pode causar parada de evacuações e dor na barriga. Como o tratamento é feito com quimioterapia, não deve ser realizada cirurgia para a retirada do intestino. Quando o linfoma é no tórax, pode causar tosse ou falta de ar. O diagnóstico dos linfomas depende de biópsia do tumor.

Quando diagnosticado precocemente, os índices de cura são de 80%.

NEUROBLASTOMA
Ocorre geralmente em crianças com menos de 5 anos. Os locais mais comuns são abdome, tórax e pescoço, perto da coluna vertebral.

Pode afetar o fígado, ossos e a medula óssea. Todos os tumores do abdome podem ser confundidos com verminose. Se a criança tem aumento da barriga que não melhora, deve-se procurar um médico para avaliação.

Os tumores que crescem próximos da coluna vertebral podem causar fraqueza nas pernas, dor e perda do controle da eliminação de fezes e urina. Se o tratamento não for iniciado a tempo, a criança pode ficar com paralisia definitiva.

Para diagnosticar o neuroblastoma é necessário, em geral, realizar uma biópsia do tumor, ou seja, retirar um pedaço pequeno através de cirurgia para que um médico patologista possa vê-lo no microscópio. Os neuroblastomas são tratados com cirurgia e quimioterapia. Em alguns casos, indica-se radioterapia e transplante de medula.

TUMOR DE WILMS
É um tumor frequente na infância, geralmente aparece antes dos 5 anos de idade. O tumor de Wilms nasce nos rins, manifestando-se como uma massa no abdome. A criança pode ainda apresentar sangue na urina, dores abdominais e pressão alta.

O exame mais indicado para o diagnóstico é o ultrassom. O tratamento é cirurgia, em que se retira o rim comprometido, seguido, em geral, de quimioterapia e, em alguns casos, de radioterapia. A cura está estimada em torno de 90% dos casos.

SARCOMAS DE PARTES MOLES
São tumores que podem ocorrer em músculos, gordura e articulações. Afetam tanto crianças, quanto adolescentes e adultos. Existe um aumento progressivo, inchaço no local do tumor e, em geral, há dor e a pele pode ficar vermelha.

Os sarcomas podem ocorrer na cabeça, no pescoço, na área genital, nos braços e nas pernas. Em adolescentes, pode localizar-se na região dos testículos, provocando aumento do escroto, sendo confundido com hérnias. O paciente não pode ter vergonha de contar seu problema ao médico!

Para diagnosticar os sarcomas é muito importante que um médico experiente em câncer realize uma biópsia a fim de examinar o tumor no microscópio. O tratamento dos sarcomas é feito, em geral, com cirurgia e quimioterapia.

TUMORES ÓSSEOS
São mais frequentes em adolescentes. Quase sempre a criança conta que teve uma batida, que causou dor, mas a dor não vai embora. O local mais comum é logo acima ou logo abaixo do joelho. A pele pode ficar vermelha e quente e, quando o tumor cresce, é possível ver também um inchaço no local.

Esses sintomas podem ser confundidos principalmente com infecções ou dores de crescimento. Para diagnosticá-lo, é importante fazer raio X do local doloroso, e um médico ortopedista, com bastante experiência em câncer, deve realizar uma biópsia com agulha, sem cortar a pele.

Os tipos mais comuns de tumores ósseos malignos são osteossarcoma e Sarcoma de Ewing. O tratamento é feito com cirurgia e quimioterapia. O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura para até 70%.

RETINOBLASTOMA
Afeta os olhos e geralmente ocorre antes dos 4 anos de idade. A principal manifestação é um reflexo brilhante no olho doente, parecido com o brilho que apresentam os olhos de um gato quando iluminados à noite.

As crianças podem ainda ficar estrábicas (vesgas), ter dor nos olhos ou perder a visão. Alguns retinoblastomas são hereditários. Se outras pessoas da família já tiveram o tumor, as crianças devem ser examinadas por um oftalmologista experiente desde a hora do nascimento para que o diagnóstico seja o mais precoce possível.

Os retinoblastomas são diagnosticados por médicos experientes através do exame do fundo de olho, com a pupila bem dilatada. Em geral, não se deve realizar biópsias. Os tumores pequenos podem ser tratados com métodos especiais, que permitem que a criança continue a enxergar normalmente. Nos casos adiantados, o olho pode precisar ser retirado e a criança pode precisar de quimioterapia e/ou radioterapia.

DOENÇA DE HODGKIN
É um tumor que acomete gânglios e baço mais frequente em adolescentes. A maioria dos casos começa com adenomegalias, “ínguas” que vão crescendo no pescoço, nas axilas ou na região inguinal. A criança pode apresentar febre prolongada e perda de peso.

O diagnóstico do Linfoma de Hodgkin é feito através de biópsia de um gânglio aumentado de tamanho. O tratamento é feito com quimioterapia e radioterapia. Atualmente, em cada 100 crianças tratadas adequadamente, 85 ficam completamente curadas.

HISTIOCITOSE
Apesar de não ser câncer, a histiocitose é uma doença tratada por oncologistas, pois muitas vezes as crianças precisam de quimioterapia para melhorar.

Pode apresentar-se como uma dermatite seborreica de difícil tratamento, otite com pus nas orelhas que vai e volta, lesões na pele, fígado e baço aumentados, lesões nos ossos e anemia.

TUMORES GERMINATIVOS
São tumores do ovário ou testículos, raros na infância. Os tumores de ovário podem causar dores abdominais, geralmente crônicas, puberdade precoce (crescimento dos seios e aparecimento de pelos antes do tempo) e tumorações palpáveis.

Os meninos com testículos que não desceram para a bolsa escrotal (criptorquidia)devem ser vigiados com ultrassom, pois a incidência de câncer é 20 a 40 vezes maior nesses casos. O sinal de alerta é o aumento da bolsa escrotal, confundido muitas vezes com hérnia. O diagnóstico é feito na cirurgia em que se retira o tumor.

Nos meninos é importante ainda que a cirurgia seja realizada pela barriga e não abrindo o escroto. O tratamento é realizado com cirurgia e quimioterapia.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: https://www.graacc.org.br

Quando e como cada país comemora o Dia das Crianças

No Brasil, o Dia das Crianças é comemorado em 12 de outubro (hoje). Veja quando tem festa para a meninada em outros lugares do planeta!

  • Belize: 4 de março
  • Bolívia: 12 de abril
  • Camboja: 1º de junho
  • Canadá: 20 de novembro
  • China: 1º de junho
  • Coréia do Sul: 5 de maio
  • Costa Rica: 9 de setembro
  • Estados Unidos: 8 de junho
  • Etiópia: 25 de novembro
  • Gana: 31 de agosto
  • Grécia: 11 de dezembro
  • Guiana: 9 de setembro
  • Indonésia: 17 de junho
  • Iraque: 12 de outubro
  • Laos: 1º de junho
  • Líbano: 22 de março
  • México: 30 de abril
  • Mongólia: 1º de junho
  • Nepal: 20 de agosto
  • Nigéria: 27 de maio
  • Paraguai: 16 de agosto
  • Rep. do Congo: 25 de dezembro
  • Serra Leoa: 11 de dezembro
  • Tailândia: 11 de janeiro
  • Uruguai: 6 de janeiro

Na Nova Zelândia, o Dia das Crianças é sempre o último domingo de outubro. A cada ano, as crianças escolhem um animal nativo do país para homenagear.

No Japão, em 5 de maio é comemorado o Tango no Sekku (Dia dos Meninos). Nessa data, as famílias exibem capacetes de guerra tradicionais, para que as crianças cresçam fortes e saudáveis. Come-se bolo de arroz recheado de feijões vermelhos e enrolado em folhas de carvalho e bolo de arroz enrolado com folhas de bambu.

Na Iugoslávia, o Dia das Crianças acontece em 22 de dezembro, três dias antes do Natal. É costume dos pais brincar de amarrar os filhos e soltar porque são bons meninos. A folia vai até o domingo seguinte, Dia das Mães, quando os filhos brincam de amarrar as mães e soltá-las em troca de doces e guloseimas. E, no próximo domingo, os pais entram na brincadeira e são soltos em troca de presentes para as crianças.

Na Índia, o Dia das Crianças é em 14 de novembro, aniversário de Jawaharlal Nehru, primeiro-ministro da Índia quando ela se tornou independente do Reino Unido.

Turquia celebra o Dia das Crianças em 23 de abril. Como nesse dia não há aula, as crianças vão passear com seus pais e ganham presentes como no Brasil.

Todos os anos, no segundo domingo de dezembro, acontece o Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV. Mais de 2 mil emissoras de rádio e TV de 170 países abrem espaço para crianças participarem da criação de programas e dizerem o que pensam.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://www.recreio.com.br

Obesidade Infantil

Foi-se o tempo que criança saudável era criança gordinha.

Hoje o cenário é assustador: a obesidade atinge 15% dos pequenos, que estão expostos a riscos de gente grande. A falta de exercícios e a alimentação inadequada são os grandes culpados pelos quilos a mais. Só para se ter uma idéia, quando o pequeno devora um pacote de bolacha na hora do lanche, está ingerindo o equivalente a uma refeição completa em calorias.

Os prejuízos são enormes: além do impacto na auto-estima, aumenta a chance de problemas ortopédicos, de infecções respiratórias e de pele, de cirrose hepática por excesso de gordura depositada no fígado – a chamada esteatose. Pior: uma criança obesa em idade pré-escolar tem 30% de chances de virar um adulto rechonchudo. O risco sobe para 50% caso ela entre na adolescência gorda. Explica-se: as células adiposas vão ficando cada vez mais recheadas de gordura até que estouram e se multiplicam, fenômeno mais comum justamente no primeiro ano de vida e na adolescência.

Reverter o quadro depende basicamente de uma coisa: reeducação alimentar.


Ele tem tendência à obesidade?

Os cientistas identificaram oito fatores que podem levar à obesidade a partir dos 7 anos:

1. Mães que engordam demais durante a gravidez podem gerar bebês com mais tendência à obesidade

2. Crianças com peso e altura acima da média entre 8 e 18 meses têm maior propensão ao problema

3. Ao completar um ano, o bebê não deve pesar mais do que o triplo do que tinha ao nascer

4. Também não deve crescer mais do que 25 centímetros no primeiro ano.

5. Bebês que dormem pouco ficam mais cansados e fazem menos atividades durante o dia, facilitando o acúmulo de gordura.

6. Crianças com mais de três anos que ficam mais de oito horas por semana na frente da TV

7. Aparecimento de gordurinhas localizadas antes dos quatro anos

8. Pais gordos: além da genética contra, os filhos podem imitar seus hábitos


Como anda a balança do seu filho?

Nas crianças, o IMC isolado não é o melhor parâmetro pois o rápido crescimento e as oscilações de peso e altura não permitem uma avaliação precisa. Mas estes valores servem de referência.

Informações parciais. Confira o texto na íntegra, acessando o site: http://saude.abril.com.br


Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se aos outros seguidores de 2.189

Calendário

julho 2020
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 991.527 hits

%d blogueiros gostam disto: